Governo da Líbia nega morte de filho de Kadafi

Porta-voz Moussa Ibrahim classificou as informaes sobre a morte de Khamis Kadafi, um dos filhos do presidente lbio, como "mentiras sujas"



Agência Brasil - O porta-voz do governo da Líbia, Moussa Ibrahim, negou hoje (5) que Khamis Kadafi, de 28, um dos sete filhos do presidente líbio, Muammar Kadafi, tenha sido morto por forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Ibrahim classificou as informações sobre a morte de Khamis como “mentiras sujas”.

“As informações sobre a morte de Khamis em um ataque aéreo da Otan são mentiras muito sujas destinadas a cobrir o assassinato de civis em uma cidade pacífica”, disse Ibrahim. Porém, a oposição diz que Khamis foi morto durante um ataque na noite de ontem (4) na cidade de Zliten, a 150 quilômetros da capital, Trípoli.

Khamis é o filho mais novo de Kadafi. Oficial de carreira, formado pela Academia Militar e pela Escola de Guerra russa, ele é o responsável pelas brigadas consideradas mais eficientes da Líbia. Segundo a oposição, Khamis é um dos 32 mortos no ataque ocorrido ontem em Zliten.

Desde março, a Líbia está em crise agravada com o ingresso dos militares da Otan que instauraram uma área de exclusão aérea no país. Os bombardeios e ataques são diários nas principais cidades. Os integrantes da oposição a Kadafi tentam ganhar espaço e pressionar o presidente a renunciar, depois de 42 anos no poder.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email