CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Governo de Obama criou 'Twitter cubano'

Segundo relatório confidencial de mais de 1.000 páginas obtido pela agência de notícias Associated Press, o objetivo do chamado ZunZuneo - alusão ao nome dado pelos cubanos ao beija-flor - era fomentar a dissidência política; governo americano de Barack Obama confirmou que a rede fazia parte de uma política americana para ajudar os cubanos a se comunicarem, no entanto, negou tentativa de escondê-la; serviço foi extinto em 2012 com 40 mil usuários 

Imagem Thumbnail
Segundo relatório confidencial de mais de 1.000 páginas obtido pela agência de notícias Associated Press, o objetivo do chamado ZunZuneo - alusão ao nome dado pelos cubanos ao beija-flor - era fomentar a dissidência política; governo americano de Barack Obama confirmou que a rede fazia parte de uma política americana para ajudar os cubanos a se comunicarem, no entanto, negou tentativa de escondê-la; serviço foi extinto em 2012 com 40 mil usuários  (Foto: Roberta Namour)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – O governo de Barack Obama nos Estados Unidos está por trás da criação de uma rede social na ilha de Fidel Castro conhecida como o ‘Twitter cubano’. Segundo relatório confidencial de mais de 1.000 páginas obtido pela agência de notícias

Associated Press, o objetivo do chamado ZunZuneo - alusão ao nome dado pelos cubanos ao beija-flor - era fomentar a dissidência política.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A rede funcionou entre 2009 e 2012 e chegou ater cerca de 40.000 usuários, mas foi interrompida depois que o governo dos EUA deixou de financiar a operação, sem explicações.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, confirmou que a rede fazia parte de uma política americana para ajudar os cubanos a se comunicarem, no entanto, negou tentativa de escondê-la: "Sugestões de que se tratava de um programa encoberto são erradas".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO