Guerra entre Rússia e EUA ‘pode destruir tudo’, alerta ex-embaixador russo em Washington

O ex-embaixador russo nos Estados Unidos, Sergey Kislyak, expressou a esperança de que não haverá confrontos militares diretos entre a Rússia e os Estados Unidos, ressaltando que tal conflito "pode destruir tudo"; "Espero que não. Não acho que os representantes da elite política dos EUA, mesmo com toda a sua vigilância, percam a mente completamente. O confronto com a gente é um conflito inevitável que pode destruir tudo. E essa é a essência amarga da dissuasão nuclear", disse Kislyak 


O ex-embaixador russo nos Estados Unidos, Sergey Kislyak, expressou a esperança de que não haverá confrontos militares diretos entre a Rússia e os Estados Unidos, ressaltando que tal conflito "pode destruir tudo"; "Espero que não. Não acho que os representantes da elite política dos EUA, mesmo com toda a sua vigilância, percam a mente completamente. O confronto com a gente é um conflito inevitável que pode destruir tudo. E essa é a essência amarga da dissuasão nuclear", disse Kislyak 
O ex-embaixador russo nos Estados Unidos, Sergey Kislyak, expressou a esperança de que não haverá confrontos militares diretos entre a Rússia e os Estados Unidos, ressaltando que tal conflito "pode destruir tudo"; "Espero que não. Não acho que os representantes da elite política dos EUA, mesmo com toda a sua vigilância, percam a mente completamente. O confronto com a gente é um conflito inevitável que pode destruir tudo. E essa é a essência amarga da dissuasão nuclear", disse Kislyak  (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Sputnik - O ex-embaixador russo nos Estados Unidos, Sergey Kislyak, expressou a esperança de que não haverá confrontos militares diretos entre a Rússia e os Estados Unidos, ressaltando que tal conflito "pode destruir tudo".

"Espero que não. Não acho que os representantes da elite política dos EUA, mesmo com toda a sua vigilância, percam a mente completamente. O confronto com a gente é um conflito inevitável que pode destruir tudo. E essa é a essência amarga da dissuasão nuclear", disse Kislyak em entrevista ao jornal Kommersant.

Kislyak, que também é o primeiro vice-chefe do Comitê de Relações Exteriores do Conselho da Federação Russa, enfatizou que a Rússia tem potencial suficiente para garantir tal contenção no nível apropriado.

"Mas pode haver muitas situações tensas", acrescentou ele.

Na semana passada, o governo dos EUA decidiu expulsar 60 diplomatas russos e fechar o Consulado Geral russo em Seattle devido ao suposto envolvimento russo no envenenamento de Sergei Skripal, ex-coronel russo que trabalhava para a inteligência britânica, e de sua filha Yulia na cidade britânica de Salisbury.

A Rússia, que refutou categoricamente as acusações, anunciou a expulsão de 58 diplomatas da Embaixada dos EUA em Moscou e dois funcionários do Consulado Geral dos EUA em Ecaterimburgo, bem como o fechamento do Consulado Geral dos EUA em São Petersburgo.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247