Guerra na Síria já gerou 150 mil refugiados

A maioria está na Turquia; em seguida, vêm Jordânia, Líbano e Iraque

Guerra na Síria já gerou 150 mil refugiados
Guerra na Síria já gerou 150 mil refugiados (Foto: Umit Bektas/REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

GENEBRA, 10 Ago (Reuters) - Um número crescente de civis sírios está deixando as áreas de combates, especialmente na cidade de Aleppo, levando o total de refugiados registrados para perto de 150 mil em quatro países vizinhos desde o início do conflito, disse a Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira.

O total inclui 50.227 refugiados na Turquia, onde mais de 6 mil chegaram somente nesta semana.

"Houve certamente na semana passada um crescimento significativo no número de refugiados chegando à Turquia, e muitas dessas pessoas estão vindo de Aleppo e de vilas vizinhas", disse Adrian Edwards, porta-voz do Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), em entrevista coletiva.

"Agora, se você olhar para outras áreas, acho que a situação é de crescimento constante e crescente, mas onde há combates, tendemos a ver as consequências", disse.

Forças sírias forçaram rebeldes a saírem de um distrito estratégico de Aleppo, mas ainda ocorrem confrontos e a ONU afirma que o conflito que envolve a Síria não terá um vencedor.

Até a noite de quinta-feira, haviam 45.869 refugiados sírios registrados na Jordânia, 36.841 no Líbano e 13.587 no Iraque, país que também já registrou a volta de 23.228 iraquianos que estavam na Síria desde o dia 18 de julho, de acordo com a ACNUR, sediada em Genebra.

"Em vários países sabemos que há um número substancial de refugiados que não foram registrados", disse Edwards.

Alguns refugiados sírios também foram para outros países, incluindo Argélia, Egito e Marrocos, além de Evros, a região grega que faz fronteira com a Turquia, disse Edwards, acrescentando que o número de refugiados nesses países é "realmente pequeno" se comparado com o das nações vizinhas da Síria.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email