Guiné Equatorial expulsa pastores brasileiros por celebração de culto durante contenção social

Também as congregações Igreja Universal do Reino de Deus e o Ministério da Libertação, da Saúde e da Profecia serão dissolvidas no país

(Foto: Divulgação/IURD)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Dois pastores evangélicos brasileiros serão expulsos da Guiné Equatorial por terem celebrado culto não autorizados em suas congregações - que, por sua vez, serão dissolvidas - durante contenção social devido à propagação do coronavírus, informou na terça-feira, 7, o ministério da Justiça do país à AFP.

Os dois pastores "serão expulsos do território nacional quando as circunstâncias o permitirem, sem possibilidade de retorno", anunciou no domingo, 5, um decreto presidencial.

A Igreja Universal do Reino de Deus e o Ministério da Libertação, da Saúde e da Profecia, duas congregações, celebraram cultos nos dias 3 e 4 de abril, segundo a Presidência. "Com seus atos, eles [os pastores] se mostraram insensíveis com o destino de todos os cidadãos", acrescenta o decreto, que determinou "a dissolução das duas igrejas".

O país registrou, oficialmente, 16 casos do novo coronavírus.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email