Hollande e Cameron intensificam ações contra EI

O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, definiram, em conversa telefônica, um acordo para "intensificar ainda mais a cooperação" na luta contra a organização Estado Islâmico, anunciou em nota a presidência francesa; o Reino Unido realizou os primeiros ataques aéreos sobre a Síria contra o EI

O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, definiram, em conversa telefônica, um acordo para "intensificar ainda mais a cooperação" na luta contra a organização Estado Islâmico, anunciou em nota a presidência francesa; o Reino Unido realizou os primeiros ataques aéreos sobre a Síria contra o EI
O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, definiram, em conversa telefônica, um acordo para "intensificar ainda mais a cooperação" na luta contra a organização Estado Islâmico, anunciou em nota a presidência francesa; o Reino Unido realizou os primeiros ataques aéreos sobre a Síria contra o EI (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Agência Lusa - O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, definiram hoje (5), em conversa telefônica, um acordo para "intensificar ainda mais a cooperação" na luta contra a organização Estado Islâmico, anunciou em nota a presidência francesa.

Na última quinta-feira, o Reino Unido realizou os primeiros ataques aéreos sobre a Síria contra o Estado Islâmico, horas depois de o Parlamento ter aprovado por larga maioria a extensão à Síria dos ataques aéreos que Londres já já realizava no Iraque.

O estreitamento na relação entre França e Reino Unido aconteceu depois que Paris foi alvo de um atentato deixando mais de cem mortos mortos e 350 feridos, numa sexta-feira, 13, do mês passado. 

O Estado Islâmico emitiu nota assumindo a autoria dos ataques. "Oito irmãos carregando coletes suicidas e armas automáticas alvejaram áreas no coração da capital francesa que foram especificadamente escolhidas antes: o Stade de France durante uma partida contra a Alemanha na qual o imbecil [sic] François Hollande estaria presente; o Bataclan, onde centenas de idólatras estariam juntos numa festa da perversidade; além de outros alvos no 10º,  no 11º e no 18º arrondissements", diz o texto.

No sábado (14), um dia depois do ataque, o presidente francês, François Hollande, prometeu uma resposta "implacável" aos atentados e decretou três dias de luto nacional. No dia seguinte, caças franceses lançaram 20 bombas sobre o reduto do EI, no leste da Síria, destruindo um posto de comando e um campo de treinamento.

O EI tem o ambicioso plano de criar um grande califado islâmico, que seria comandado por um sucessor de Maomé - Abu Bakr al-Baghdadi. O plano do EI, que concentra suas atividades no Iraque e na Síria, ignora fronteiras territoriais na tentativa de estabelecer o califado, o que torna ainda mais complexa a forma como a França responderá aos ataques.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247