Bolsonaro hostiliza Argentina e cancela ida de ministro à posse de Fernández

Num gesto sem precedentes, Jair Bolsonaro decidiu hostilizar a Argentina, maior importador de produtos industriais do Brasil, e cancelou a ida do ministro Osmar Terra à posse de Alberto Fernández e Cristina Kirchner na próxima terça-feira

Alberto Fernández
Alberto Fernández (Foto: Agustin Marcarian/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Cidadania do Brasil, Osmar Terra, teve sua ida à posse de Alberto Fernández e Cristina Kirchner na próxima terça-feira (10) cancelada por Jair Bolsonaro. O Brasil não deve ter representates na cerimônia. A informação é do jornal local Clarín.

No inínio de novembro Bolsonaro disse que o governo não enviaria ninguém para posse, porém, mudou de ideia e disse que Osmar Terra representaria o Brasil na Argentina.

Alberto Fernández convidou para sua posse o ex-presidente deposto pelo recente golpe na Bolívia, Evo Morales, e o ex-presidente Lula. 

Na quinta-feira (5), o presidente eleito da Argentina se reuniu com o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e outros parlamentares: Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder da maioria, Paulo Pimienta (PT-RS), líder do PT, Baleia Rossi (MDB-SP), líder do MDB, Elmar Nascimento (DEM-BA), líder dos Democratas, Orlando Silva (PCdoB-SP), Sérgio França Danese, embaixador brasileiro na Argentina; e Marcelo Dantas, assessor de Relações Internacionais de Maia.

O Clarín informou que a presença na comitiva de Maia de Paulo Pimenta e Orlando Silva, ambos de esquerda, incomodou Bolsonaro.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247