Independência de Taiwan significa guerra, adverte Pequim

A China reagiu fortemente à retórica de políticos em Taipei antes de uma eleição presidencial na ilha.

(Foto: Reuters)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

RT - A China está disposta a permitir 'muito espaço' para a reunificação pacífica com Taiwan, mas não tolerará atividades separatistas, advertiu o porta-voz do governo Chen Binhua na segunda-feira. O oficial estava respondendo a comentários de políticos pró-independência taiwaneses antes de uma eleição presidencial na ilha autônoma.

Segundo relatos da mídia, Lai Ching-te e Hsiao Bi-khim, ambos do Partido Progressista Democrático, atualmente no poder em Taiwan, afirmaram recentemente que a ilha continua ameaçada por um ataque do continente.

continua após o anúncio

Lai, que se autodenomina um 'trabalhador pela independência de Taiwan', está em campanha para as eleições presidenciais de janeiro e escolheu Hsiao, ex-enviada aos EUA, como sua companheira de chapa.

Chen, que é porta-voz do Gabinete de Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado da China, disse que Pequim não mostrará leniência para com as forças em Taiwan se promoverem o separatismo.

continua após o anúncio

Ele citou a Lei Antisecessão de Pequim de 2005, que reiterou que a China vê Taiwan como uma parte inalienável de seu território. A legislação permite que Pequim empregue meios arbitrários, não pacíficos, para alcançar a unificação com a ilha, que é autogovernada desde 1949 e os dias da Guerra Civil Chinesa.

"Quero enfatizar que a independência de Taiwan significa guerra", declarou Chen ao condenar Lai e Hsiao como separatistas. Ele ainda acusou a dupla de distorcer os fatos e minimizar os riscos de atividades separatistas para enganar os eleitores antes da eleição de 2024.

continua após o anúncio

Em uma reunião com o presidente dos EUA, Joe Biden, na Califórnia, no início deste mês, o líder chinês Xi Jinping advertiu que Taiwan potencialmente permanece a questão mais perigosa nas relações entre Washington e Pequim.

Sob a Lei de Resiliência Reforçada de Taiwan de 2022, o governo dos EUA está autorizado a gastar até 2 bilhões de dólares por ano em assistência militar para a ilha de 2023 a 2027. Enquanto isso, Taiwan tem mais de 14 bilhões de dólares em equipamentos militares dos EUA encomendados.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247