Irmandade Muçulmana convoca protestos pró-Mursi

Além da manifestação contra a deposição do presidente do Egito, "Sexta-feira da Rejeição" quer contestar também prisão de líderes da organização; O chamado foi feito em uma entrevista numa mesquita no subúrbio do Cairo

Irmandade Muçulmana convoca protestos pró-Mursi
Irmandade Muçulmana convoca protestos pró-Mursi (Foto: Khaled Abdullah)

Opera Mundi - Uma coalizão de forças políticas islâmicas liderada pela Irmandade Muçulmana convocou para esta sexta-feira (05/07) uma grande manifestação contra a deposição de Mohamed Mursi da Presidência do Egito, ocorrida na quarta (03). A manifestação está sendo chamada de “Sexta-feira da Rejeição”.

A Coalizão Nacional em Apoio à Legitimidade “convoca o povo egípcio a tomar as ruas e se mobilizar pacificamente" após as orações de sexta, para dizer "não" às prisões feitas pelos militares e à destituição.

O chamado foi feito em uma entrevista numa mesquita no subúrbio do Cairo, onde manifestantes pró-Morsi fazem uma vigília desde a semana passada.

O partido de Mursi, Liberdade e Justiça, é o braço político da Irmandade Muçulmana. O movimento denunciou a instauração de um "Estado policial" no Egito. "A Irmandade Muçulmana rejeita o terror do Estado policial que prendeu figuras da irmandade".

O grupo se refere, entre outros, à prisão de Mohamed Badie, líder supremo da organização, que foi preso na cidade de Marsa Matrouh, no norte do país. A promotoria do Egito confirmou que ordenou a prisão de Badie, e de seu vice, Khairat el Shater, antigo candidato à Presidência que, por impedimento judicial, foi substituído por Mursi na última eleição.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247