Israel amplia pressão sobre Teerã

Em vez de prestar solidariedade às vítimas do terremoto, premiê Benjamin Netanyahu diz que “ao Irã não pode ser permitida a obtenção de armas nucleares”

Israel amplia pressão sobre Teerã
Israel amplia pressão sobre Teerã (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Dan Williams

JERUSALÉM, 12 Ago (Reuters) - O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, disse neste domingo que a maior parte das ameaças à segurança do país se tornam menores diante da possibilidade de o Irã obter armas nucleares. Segundo a mídia israelense, Teerã tem intensificado os seus esforços para produzi-las.

Os comentários do primeiro-ministro na reunião semanal de gabinete e as notícias de primeira página no liberal Haaretz, crítico de Netanyahu, e no jornal conservador Israel Hayom se dão em meio ao debate cada vez mais intenso sobre se Israel deve ou não atacar o Irã por causa de seu controverso programa atômico.

O debate desafia os apelos do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que disputa a reeleição e que pede mais tempo para a diplomacia internacional. Teerã diz que seu programa nuclear é pacífico e promete fortes represálias caso atacado.

Nos comentários também transmitidos ao vivo pela mídia israelense, Netanyahu afirmou que "todas as ameaças dirigidas neste momento a Israel se tornam pequenas diante de outra ameaça, diferente em escopo, diferente em substância."

"Por essa razão, eu digo de novo que ao Irã não pode ser permitida a obtenção de armas nucleares", declarou Netanyahu.

Netanyahu também disse que Israel investe bilhões em defesa.

O Banco Central, por exemplo, tem feito simulações para o caso de "grandes crises", como uma guerra contra o Irã, disse Stanly Fischer, chefe do banco, a uma televisão israelense neste fim de semana.

Os jornais Haaretz e Israel Hayom publicaram que o Irã teria feito progressos significativos para o desenvolvimento de armas nucleares, com base em fontes anônimas.

Amplamente conhecido por ter o único arsenal atômico da região, o Estado judeu vê um conflito nuclear com o Irã como uma ameaça mortal e há tempos tem ameaçado atacar seu arquirrival preventivamente.

Os comentários sobre guerra têm, em parte, como objetivo endurecer as sanções internacionais contra Teerã. Alguns analistas especulam que Netanyahu esteja blefando.

Outros acham que é uma tentativa de mudar a opinião de ministros, militares e eleitores contrários a um ataque.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email