Jordânia e Israel fecham acordo sobre esplanada das mesquitas

Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anunciou, em Amã, um acordo entre a Jordânia e Israel sobre novas regras na Esplanada das Mesquitas, numa tentativa de pôr fim à onda de violência entre israelenses e palestinos; segundo Kerry, o premiê israelense Benjamin Netanyahu aceitou a sugestão do rei Abdallah de assegurar câmaras de vigilância durante 24 horas em todos os locais da Esplanada das Mesquitas, além de "respeitar plenamente o papel particular" da Jordânia como guardiã dos lugares sagrados, de acordo com regras estabelecidas em 1967; Israel também era demonstrado intenção de compartilhar a praça

Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anunciou, em Amã, um acordo entre a Jordânia e Israel sobre novas regras na Esplanada das Mesquitas, numa tentativa de pôr fim à onda de violência entre israelenses e palestinos; segundo Kerry, o premiê israelense Benjamin Netanyahu aceitou a sugestão do rei Abdallah de assegurar câmaras de vigilância durante 24 horas em todos os locais da Esplanada das Mesquitas, além de "respeitar plenamente o papel particular" da Jordânia como guardiã dos lugares sagrados, de acordo com regras estabelecidas em 1967; Israel também era demonstrado intenção de compartilhar a praça
Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anunciou, em Amã, um acordo entre a Jordânia e Israel sobre novas regras na Esplanada das Mesquitas, numa tentativa de pôr fim à onda de violência entre israelenses e palestinos; segundo Kerry, o premiê israelense Benjamin Netanyahu aceitou a sugestão do rei Abdallah de assegurar câmaras de vigilância durante 24 horas em todos os locais da Esplanada das Mesquitas, além de "respeitar plenamente o papel particular" da Jordânia como guardiã dos lugares sagrados, de acordo com regras estabelecidas em 1967; Israel também era demonstrado intenção de compartilhar a praça (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, anunciou hoje (24), em Amã, um acordo entre a Jordânia e Israel sobre novas regras na Esplanada das Mesquitas, numa tentativa de pôr fim à onda de violência entre israelenses e palestinos.

As medidas deverão ser anunciadas nas próximas horas pelo primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, acrescentou John Kerry, que fez as declarações ao lado do colega jordaniano Nasser Judeh, depois de um encontro com o rei da Jordânia, Abdallah 2º.

De acordo com John Kerry, Netanyahu aceitou a sugestão do rei Abdallah de assegurar câmaras de vigilância durante 24 horas em todos os locais da Esplanada das Mesquitas, ideia considerada "excelente" pelo governante norte-americano. Ele acrescentou que Israel concordou em "respeitar plenamente o papel particular" da Jordânia, guardiã dos lugares sagrados, de acordo com regras estabelecidas em 1967.

Segundo o secretário de Estado norte-americano, Israel tem a intenção de compartilhar a praça. Ele parabenizou o reforço da cooperação entre as autoridades israelenses e jordanianas, que devem reunir-se brevemente para reforçarem o dispositivo de segurança no local.

O local tem sido historicamente um foco de tensão e, nas últimas semanas, deu origem a uma escalada da violência depois de as autoridades israelenses, por ocasião da celebração de um feriado judaico, terem proibido a entrada no complexo aos homens muçulmanos com menos de 50 anos.

O fim da restrição foi visto por observadores como um gesto de apaziguamento do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, depois da reunião na quinta-feira (22) com John Kerry.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247