Juiz da Pensilvânia rejeita última ação da campanha de Trump para atrasar certificação dos resultados

Uma ação judicial da campanha de Donald Trump que acusava a ocorrência de amplas irregularidades no voto postal na Pensilvânia foi rejeitada pelo juiz federal Matthew W. Brann. A decisão do magistrado elimina o último grande esforço dos republicanos para tentar atrasar a certificação dos resultados locais da eleição

Trump cita vitória de Biden no Twitter, ainda repete falsas alegações de fraude.
Trump cita vitória de Biden no Twitter, ainda repete falsas alegações de fraude. (Foto: REUTERS/Carlos Barria)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Uma ação judicial da campanha de Donald Trump que acusava a ocorrência de amplas irregularidades no voto postal na Pensilvânia foi rejeitada na noite de sábado (21) pelo juiz federal Matthew W. Brann. A decisão do magistrado elimina o último grande esforço dos republicanos para tentar atrasar a certificação dos resultados locais da eleição para a Presidência dos EUA, que deve acontecer ainda na próxima segunda-feira (23). A reportagem é do jornal O Globo.

O juiz da Pensilvânia ainda escreveu que a campanha de Trump, que lhe pedira para tirar o direito de voto de sete milhões de norte-americanos, deveria estar "armada de fortes argumentos legais e provas factuais de corrupção abrangente". Em vez disso, os republicanos apresentaram apenas "argumentos legais forçados sem mérito e acusações especulativas" que não eram "apoiadas em evidências", acrescenta a reportagem.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247