Julian Assange deixa comando do WikiLeaks, mas continua na equipe editorial

O australiano Julian Assange, que está refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012, deixou o comando do WikiLeaks, mas permanecerá na equipe editorial, segundo informou o próprio portal; Assange não pode continuar na direção do portal porque está "incomunicável" há seis meses, após o governo equatoriano ter restringido suas comunicações; ele nomeou como novo editor-chefe o jornalista islandês Kristinn Hrafnsson

Julian Assange deixa comando do WikiLeaks, mas continua na equipe editorial
Julian Assange deixa comando do WikiLeaks, mas continua na equipe editorial
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

EFE - O australiano Julian Assange, que está refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012, deixou o comando do WikiLeaks, mas permanecerá na equipe editorial, segundo informou o próprio portal.

Assange não pode continuar na direção do portal porque está "incomunicável" há seis meses, após o governo equatoriano ter restringido suas comunicações.

O programador, que desde o fim do ano passado é naturalizado equatoriano, nomeou como novo editor-chefe o jornalista islandês Kristinn Hrafnsson.

"Devido às extraordinárias circunstâncias nas quais Julian Assange, fundador do WikiLeaks, está retido incomunicável (exceto pelas visitas dos advogados) há seis meses, enquanto permanece arbitrariamente detido na embaixada do Equador, Assange nomeou Kristinn Hrafnsson como editor-chefe do WikiLeaks", afirmou o perfil do portal no Twitter.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247