Kremlin responde à ameaça ucraniana de matar Putin

Os serviços russos que protegem o chefe de Estado conhecem bem seu trabalho, disse o porta-voz do presidente

Vladimir Putiin. Foto: Sergei Karpukhin/TASS
Vladimir Putiin. Foto: Sergei Karpukhin/TASS (Foto: Sergei Karpukhin/TASS)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

RT - A liderança da Ucrânia demonstrou novamente sua natureza “terrorista” ao ameaçar assassinar o presidente Vladimir Putin, disse o secretário de imprensa do Kremlin, Dmitry Peskov, ao mesmo tempo em que garantiu que o líder russo está bem protegido.

 “Um regime terrorista fala sobre suas aspirações terroristas”, disse Peskov à emissora Rossiya 24 na quinta-feira.

continua após o anúncio

 O porta-voz estava comentando um reconhecimento de Vadim Skibitsky, vice-chefe da Diretoria Principal de Inteligência da Ucrânia (GUR), que disse ao jornal alemão Die Welt na quarta-feira que Putin estava na lista de assassinatos de sua agência.

 Peskov disse que tais declarações mostram que a operação militar, lançada pela Rússia na Ucrânia em fevereiro de 2022, foi “mais do que justificada, mais do que necessária e que deve ser concluída”.

continua após o anúncio

 Quando perguntado se o destacamento de segurança do presidente russo havia sido reforçado após a ameaça de Kiev, Peskov respondeu: “Confie em mim, nossos serviços de segurança conhecem seu trabalho e sabem o que estão fazendo”.

 Em sua entrevista, Skibitsky afirmou que Putin “percebe que estamos cada vez mais perto dele”,  sugerindo que os agentes ucranianos até agora não conseguiram alcançá-lo porque o líder russo “permanece escondido”.  O oficial de inteligência também disse que o GUR estava  “tentando matar” o chefe da empresa militar privada Wagner, Evgeny Prighozhin, o ministro da Defesa russo, Sergey Shoigu, e o chefe do Estado-Maior Valery Gerasimov.

continua após o anúncio

 No início de maio, dois pequenos drones foram desativados pelas defesas aéreas, enquanto tentavam atacar a residência de Putin no Kremlin, em Moscou. O líder russo não estava lá no momento do ataque fracassado e ninguém ficou ferido.

 Apesar das autoridades ucranianas negarem qualquer envolvimento, Moscou chamou o incidente de "um ato terrorista pré-planejado" e um atentado contra a vida de Putin perpetrado por Kiev.

continua após o anúncio

 O Kremlin prometeu que a Rússia retaliaria o ataque “em qualquer lugar e a qualquer momento que julgar necessário”, enquanto o legislador sênior Vyacheslav Volodin pediu o uso de “armas capazes de parar e destruir o regime terrorista de Kiev”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247