Lavrov defende as razões da Rússia em debate no Conselho de Segurança da ONU

Lavrov acusou a Ucrânia de ameaçar a segurança da Rússia e "pisar descaradamente" nos direitos dos russos e dos russófonos na Ucrânia

www.brasil247.com - Chanceler russo, Sergei Lavrov
Chanceler russo, Sergei Lavrov (Foto: Alexander Zemlianichenko/Pool via REUTERS)


247 - O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, defendeu nesta quinta-feira (22), durante debate no Conselho de Segurança da ONU, os motivos do seu país ao desencadear em fevereiro deste ano a operação militar especial na Ucrânia.

Lavrov esteve no sala do conselho apenas para proferir seu discurso na reunião do órgão de 15 membros, que contou com a presença do secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, e do ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi. Lavrov não ouviu nenhum discurso dos outros países.

O conselho, que se reuniu sobre a Ucrânia pelo menos pela 20ª vez este ano, não pôde tomar medidas significativas porque a Rússia é um membro permanente com direito de veto, assim como Estados Unidos, França, Reino Unido e China.

Lavrov acusou Kiev de ameaçar a segurança da Rússia e "pisar descaradamente" nos direitos dos russos e dos russófonos na Ucrânia, acrescentando que isso "simplesmente confirma que a decisão de conduzir a operação militar especial era inevitável".

Lavrov disse que os países que fornecem armas à Ucrânia e treinam seus soldados foram partes no conflito, acrescentando que "o fomento intencional deste conflito pelo Ocidente permaneceu impune".

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email