Líbano rejeita investigação internacional sobre explosão em Beirute

O Ministério da Justiça libanês rejeitou uma investigação internacional sobre a explosão em Beirute e ressaltou a capacidade do governo de realizá-la

Grande explosão na zona portuária de Beirute, no Líbano
Grande explosão na zona portuária de Beirute, no Líbano (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ministra da Justiça do Líbano, Marie-Claude Najm, disse na quarta-feira (12) que o judiciário do país poderia usar especialistas internacionais se necessário, mas rejeitou as demandas de uma investigação internacional sobre a explosão que devastou o porto de Beirute e causou  destruição na capital libanesa.

Najm indicou ainda que a investigação pode ser uma “oportunidade” para o Judiciário “reconquistar a confiança do povo e mostrar que pode fazer o seu trabalho da melhor forma”.

No entanto, indicou que as investigações já foram “internacionalizadas”, visto que a polícia francesa e especialistas têm participado nas investigações em curso sobre o incidente, embora tenha esclarecido que a presença francesa se deveu à existência de vítimas francesas.

A posição da ministra da Justiça coincide com a do presidente do Líbano, Michel Aoun, que rejeitou na semana passada as demandas por uma investigação internacional sobre as explosões, dizendo que elas "têm como objetivo distorcer a verdade."

O presidente considerou que os pedidos desta investigação internacional "seriam uma perda de tempo". Desta forma, o governo libanês evita qualquer interferência estrangeira nos assuntos internos do país.

Depois da explosão de Beirute, que deixou mais de 150 mortos e milhares de feridos, além de desaparecidos e despejados, países europeus, como França e Alemanha, estão tentando aproveitar o incidente para aumentar sua interferência no país árabe, a pretexto de ajudar o do povo e do governo libanês.

Segundo analistas, os problemas do Líbano no momento são grandes e não parece que a interferência estrangeira vá resolvê-los. Ao contrário, qualquer ingerência estrangeira tem grande probabilidade de gerar mais instabilidade no país árabe, informa a HispanTV.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247