Líder do SPD renuncia após acordo de coalizão com Merkel

O líder do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD), Martin Schulz, renunciou na terça-feira, esperando encerrar a instabilidade que tem abalado a legenda de centro-esquerda desde que chegou a um acordo de coalizão com os conservadores da chanceler alemã, Angela Merkel; vice de Schulz, Olaf Scholz, prefeito de Hamburgo que deve se tornar ministro de Finanças no novo governo, disse que vai assumir como líder provisório do SPD e o partido confirmou que recomendou Andrea Nahles como sucessora de Schulz no longo prazo

O líder do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD), Martin Schulz, renunciou na terça-feira, esperando encerrar a instabilidade que tem abalado a legenda de centro-esquerda desde que chegou a um acordo de coalizão com os conservadores da chanceler alemã, Angela Merkel; vice de Schulz, Olaf Scholz, prefeito de Hamburgo que deve se tornar ministro de Finanças no novo governo, disse que vai assumir como líder provisório do SPD e o partido confirmou que recomendou Andrea Nahles como sucessora de Schulz no longo prazo
O líder do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD), Martin Schulz, renunciou na terça-feira, esperando encerrar a instabilidade que tem abalado a legenda de centro-esquerda desde que chegou a um acordo de coalizão com os conservadores da chanceler alemã, Angela Merkel; vice de Schulz, Olaf Scholz, prefeito de Hamburgo que deve se tornar ministro de Finanças no novo governo, disse que vai assumir como líder provisório do SPD e o partido confirmou que recomendou Andrea Nahles como sucessora de Schulz no longo prazo (Foto: Aquiles Lins)

BERLIM (Reuters) - O líder do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD), Martin Schulz, renunciou na terça-feira, esperando encerrar a instabilidade que tem abalado a legenda de centro-esquerda desde que chegou a um acordo de coalizão com os conservadores da chanceler alemã, Angela Merkel.

O vice de Schulz, Olaf Scholz --prefeito de Hamburgo que deve se tornar ministro de Finanças no novo governo-- disse que vai assumir como líder provisório do SPD e o partido confirmou que recomendou Andrea Nahles como sucessora de Schulz no longo prazo.

Em meio a discordâncias sobre o acordo de coalizão e sobre a distribuição de cargos ministeriais e enfrentando queda em pesquisas de opinião, líderes do SPD estão tentando convencer os 464 mil membros do partido a apoiar o acordo com Merkel, do qual seu quarto mandato depende.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247