Mandato de May está por um fio, mesmo que aprove acordo do Brexit

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, poderá ser obrigada a deixar o posto, mesmo se conseguir o apoio necessário da Câmara dos Comuns para o acordo firmado com a União Europeia (UE) para o "Brexit"; uma das exigências que setores do governo e do Parlamento britânico estão fazendo é de que ela se comprometa a renunciar ao cargo

Mandato de May está por um fio, mesmo que aprove acordo do Brexit
Mandato de May está por um fio, mesmo que aprove acordo do Brexit

247, com EFE - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, poderá ser obrigada a deixar o posto, mesmo se conseguir o apoio necessário da Câmara dos Comuns para o acordo firmado com a União Europeia (UE) para o "Brexit". Uma das exigências que setores do governo e do Parlamento britânico estão fazendo é de que ela se comprometa a renunciar ao cargo.

Segundo a "BBC", vários parlamentares planejam recuar e apoiar o pacto da primeira-ministra se ela se comprometer a não liderar a nova rodada de negociações com o bloco europeu para chegar a um texto definitivo com as regras para o divórcio da UE.

As informações da "BBC" coincidem com uma conspiração, revelada pelo "The Sunday Times". Segundo o jornal, 11 ministros planejam forçar a saída da primeira-ministra na sessão de segunda-feira (25).

Os "rebeldes" querem, segundo o "Sunday Times", nomear um premiê interino para participar das negociações do "Brexit". O nome mais cotado para assumir a função é David Lidington, atual ministro do gabinete. Correm por fora na disputa os ministros do Meio Ambiente, Michael Gove, e de Relações Exteriores, Jeremy Hunt.

Fontes ligadas à primeira-ministra dizem que ela não pretende renunciar.

As críticas a May foram crescendo ao longo desta semana depois que a primeira-ministra insinuou que a Câmara dos Comuns é a responsável pela crise do "Brexit".

A União Europeia (UE) disse na última quinta-feira (21) que o Reino Unido tem até sexta-feira (29) para aprovar o acordo do "Brexit" se quiser deixar o bloco de forma negociada no próximo dia 22 de maio.

Caso contrário, os líderes europeus estabeleceram o dia 12 de abril como prazo para que os britânicos decidam se querem cancelar o "Brexit", deixar a UE sem negociação ou discutir uma prorrogação mais longa da data de saída, o que obrigaria o Reino Unido a participar das eleições para o Parlamento Europeu no fim de maio.

Neste sábado (23), centenas de milhares de pessoas foram às ruas de Londres para exigir a realização de um segundo referendo sobre o "Brexit".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247