Maradona sobre Fidel: “O mundo perde o mais sábio de todos”

Ex-jogador argentino Diego Maradona também lamentou a morte do líder cubano Fidel Castro; "Morreu o meu amigo, o meu confidente, o que me aconselhou, que me ligava a qualquer hora para falar de política, de futebol, de basebal, o que me disse que quando Clinton fosse embora o que viria era pior, que foi Bush", confessou

Ex-jogador argentino Diego Maradona também lamentou a morte do líder cubano Fidel Castro; "Morreu o meu amigo, o meu confidente, o que me aconselhou, que me ligava a qualquer hora para falar de política, de futebol, de basebal, o que me disse que quando Clinton fosse embora o que viria era pior, que foi Bush", confessou
Ex-jogador argentino Diego Maradona também lamentou a morte do líder cubano Fidel Castro; "Morreu o meu amigo, o meu confidente, o que me aconselhou, que me ligava a qualquer hora para falar de política, de futebol, de basebal, o que me disse que quando Clinton fosse embora o que viria era pior, que foi Bush", confessou (Foto: Aquiles Lins)

Portal Vermelho - "Como nunca se enganou, para mim Fidel é, foi e será eterno, o único, o maior. Dói-me o coração porque o mundo perde o mais sábio de todos", disse Diego Maradona, nas redes sociais, neste sábado (26), sobre a morte do líder cubano Fidel Castro.

"Morreu o meu amigo, o meu confidente, o que me aconselhou, que me ligava a qualquer hora para falar de política, de futebol, de basebal, o que me disse que quando Clinton fosse embora o que viria era pior, que foi Bush", confessou Maradona, que comparou a dor pela perda de Fidel à de seus pais.

Em entrevista ao canal fechado argentino Tyc Sports, neste sábado, Maradona declarou que "depois da morte dos meus velhos, essa é a maior dor. Porque quando na Argentina havia clínicas que me fecharam as portas, porque queriam a morte de Maradona, Fidel me abriu as portas de Cuba, de coração", contou, relembrando o tratamento que fez para se livrar da dependência química no Centro Internacional de Salud La Pradera em Cuba, em 2000.

Foi lá que conheceu Fidel Castro. A partir dali, os dois se tornariam amigos próximos e Maradona passaria a ser figurinha carimbada no país caribenho, onde morou por quatro anos. Maradona é tão grato a Fidel que tatuou imagem do líder cubano em sua panturrilha.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247