CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Medvedev sobre Grupo Wagner: “coisa mais importante para derrotar o inimigo externo e interno é unir-se em torno do presidente”

"A divisão e a traição levam à maior tragédia, a um desastre universal", advertiu o ex-presidente russo

(Foto: TASS/Yekaterina Shtukina)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 — O ex-presidente russo, Dmitry Medvedev, disse que "a coisa mais importante para derrotar o inimigo externo e interno que está ansioso para despedaçar nossa pátria... é unir-se em torno do presidente e do comandante supremo das forças armadas".

"A divisão e a traição levam à maior tragédia, a um desastre universal", advertiu ele em uma postagem no Telegram, prometendo que as autoridades russas não deixarão que isso aconteça.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

RT - A melhor coisa que os russos podem fazer diante da insurreição do chefe da Wagner, Evgeny Prigozhin, é se unir em torno do Presidente Vladimir Putin, disse o ex-líder russo Dmitry Medvedev no sábado.

Em um comunicado no Telegram, Medvedev, que agora atua como vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, afirmou que "agora a coisa mais importante para derrotar o inimigo externo e interno que está ansioso para rasgar nossa Pátria em pedaços... é se unificar em torno do Presidente e Comandante Supremo das forças armadas".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Rupturas e traições levam à maior tragédia, a um desastre universal", alertou Medvedev, prometendo que as autoridades russas não permitirão que isso aconteça.

"O inimigo será esmagado! A vitória será nossa!", acrescentou, em aparente referência à frase famosamente cunhada pelo Ministro das Relações Exteriores soviético Vyacheslav Molotov em 22 de junho de 1941, horas depois que a Alemanha nazista invadiu a União Soviética.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na sexta-feira, Prigozhin afirmou que o Ministério da Defesa russo realizou um ataque com mísseis em um acampamento da Wagner, que ele disse ter deixado várias pessoas mortas. O ministério negou a acusação, acusando Prigozhin de espalhar falsidades. Uma investigação criminal foi aberta contra o chefe da Wagner por suposto envolvimento em uma conspiração para fomentar uma rebelião.

No sábado de manhã, Putin fez um discurso nacional, denunciando a demarcação de Prigozhin como rebelião e uma "punhalada pelas costas", ao mesmo tempo em que instava seus apoiadores a "fazerem a única escolha certa e pararem de participar de ações criminosas".

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO