Merkel e Hollande se unem em mensagem dura à Grécia

Chanceler alemã e presidente francês pretendem dizer a Atenas para não esperar nenhuma tolerância em relação a seu resgate financeiro a menos que cumpra os termos; gregos querem mais tempo para implementar cortes

Merkel e Hollande se unem em mensagem dura à Grécia
Merkel e Hollande se unem em mensagem dura à Grécia (Foto: Divulgação)

Por Stephen Brown e Andreas Rinke

BERLIM, 23 Ago (Reuters) - Angela Merkel e François Hollande vão apresentar uma posição unificada com relação à Grécia em suas conversas nesta quinta-feira, dizendo a Atenas para não esperar nenhuma tolerância em relação a seu resgate financeiro a menos que cumpra os termos.

Os líderes da Alemanha e da França estão reunidos para afinarem sua mensagem ao primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, que começa na sexta-feira uma viagem a Berlim e Paris na esperança de convencer as grandes potências europeias de que a Grécia merece paciência.

Samaras tem dado entrevistas à imprensa alemã salientando que, embora Atenas possa pedir mais tempo para atingir metas de austeridade, não está pedindo mais dinheiro dos seus parceiros. Mas o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schaeuble, soou um alerta.

"Mais tempo não é uma solução para os problemas", disse Schaeuble a uma rádio alemã, em resposta à proposta de Samaras para que a Grécia tenha quatro anos, em vez de dois, para implantar as dolorosas medidas econômicas exigidas no pacote de resgate da União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional. Segundo Schaeuble, a ajuda à Grécia já "chegou aos limites do que é economicamente viável".

Líderes europeus dizem que qualquer decisão sobre a Grécia dependerá de um relatório sobre o progresso do país a ser apresentado na semana que vem pela "troika" de credores.

Samaras visita Merkel na sexta-feira e Hollande no sábado, num momento de raro otimismo dos mercados europeus quanto às ações da Europa contra a crise da dívida.

A própria Merkel afastou na quarta-feira qualquer chance de concessões abrangentes, dizendo durante viagem à Moldávia que tem "a consciência de que precisamos fazer com que cada parceiro mantenha seus compromissos".

Mas, por trás da posição rígida, Berlim e Paris têm poucas opções a não ser dar à Grécia "um pouco de ar para respirar" - expressão usada por Samaras. Nas duas capitais, há pouco interesse em expulsar a Grécia da zona do euro.

Hollande e Merkel farão apenas uma breve declaração à imprensa às 14h (hora de Brasília), antes da sua reunião, em vez de concederem entrevista coletiva posterior.

(Reportagem adicional de Brian Love, Catherine Bremer, Sarah Marsh e Alexandra Hudson)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247