Merkel vence, mas fica preocupada com avanço da extrema-direita

Após o fechamento das urnas na Alemanha, a primeira pesquisa de boca de urna apontou que a União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler Angela Merkel em aliança com o partido gêmeo da Baviera União Cristão-Social (CSU) teria alcançado 32,5% dos votos, e o Partido Social-Democrata (SPD), 20%; partido de extrema-direita, Alternativa para a Alemanha (AfD) teria ficado na terceira posição, com 13,5% dos votos, entrando pela primeira vez no Parlamento alemão, o que deixou Merkel preocupada - alemães também gritaram "fora nazistas" ; "Temos que cuidar da Alemanha, temos que prestar atenção na justiça social, temos que trabalhar para uma União Europeia mais forte e temos que lidar também com a questão das migrações", disse ela


Após o fechamento das urnas na Alemanha, a primeira pesquisa de boca de urna apontou que a União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler Angela Merkel em aliança com o partido gêmeo da Baviera União Cristão-Social (CSU) teria alcançado 32,5% dos votos, e o Partido Social-Democrata (SPD), 20%; partido de extrema-direita, Alternativa para a Alemanha (AfD) teria ficado na terceira posição, com 13,5% dos votos, entrando pela primeira vez no Parlamento alemão, o que deixou Merkel preocupada - alemães também gritaram "fora nazistas" ; "Temos que cuidar da Alemanha, temos que prestar atenção na justiça social, temos que trabalhar para uma União Europeia mais forte e temos que lidar também com a questão das migrações", disse ela
Após o fechamento das urnas na Alemanha, a primeira pesquisa de boca de urna apontou que a União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler Angela Merkel em aliança com o partido gêmeo da Baviera União Cristão-Social (CSU) teria alcançado 32,5% dos votos, e o Partido Social-Democrata (SPD), 20%; partido de extrema-direita, Alternativa para a Alemanha (AfD) teria ficado na terceira posição, com 13,5% dos votos, entrando pela primeira vez no Parlamento alemão, o que deixou Merkel preocupada - alemães também gritaram "fora nazistas" ; "Temos que cuidar da Alemanha, temos que prestar atenção na justiça social, temos que trabalhar para uma União Europeia mais forte e temos que lidar também com a questão das migrações", disse ela (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Após o fechamento das urnas na Alemanha, as 18h locais (as 13h no horário de Brasília), a primeira pesquisa de boca de urna das eleições federais deste domingo (24) aponta uma vitória da União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler Angela Merkel. Quem sai derrotado é Martin Schulz, do Partido Social-Democrata (SPD).

A CDU em aliança com o partido gêmeo da Baviera União Cristão-Social (CSU) teria alcançado 32,5% dos votos, com 220 assentos, e SPD teria apenas 20% das preferências, conquistando 137 assentos, de acordo com a pesquisa, divulgada pela rádio ARD. Para os social-democratas são cinco pontos a menos na comparação com a última eleição, em 2013.

O partido de extrema-direita, Alternativa para a Alemanha (AfD), teria ficado na terceira posição, com 13,5% dos votos, entrando pela primeira vez no Bundestag, o Parlamento alemão com aproximadamente 87 assentos. O partido liberal (FDP) teria alcançado 10,5%, o Partido Verde 9,5% e a extrema-esquerda do Die Linke 9%.

"É uma grande derrota para o SPD, a Grande Coalizão acaba hoje ", declarou logo em seguida a divulgação da pesquisa, Manuela Schwesig, uma das principais líderes da SPD.

Novo governo

Merkel terá de formar um governo de coalizão com outros partidos. "Temos mandato para formar um novo governo e vamos formar um novo governo" declarou Merkel.

A chanceler manifestou preocupação com a chegada no Parlamento da Alternativa para a Alemanha (AfD). "É necessário entender as razões desse ingresso", disse ela.

"Temos que cuidar da Alemanha, temos que prestar atençao na justiça social, temos que trabalhar para uma União Europeia mais forte e temos que lidar também com a questão das migrações", declarou Merkel, salientando que "todas as forças e também a calma serão empenhados nesse esforço".

Protesto

Alemães fizeram uma manifestação em frente ao um evento do AfD aos gritos de "fora nazistas".

Leia abaixo a reportagem da Agência EFE a respeito:

Ao todo, 1 milhão de pessoas, a maioria jovens, protestaram neste domingo (24), aos gritos de "fora nazistas", na frente do espaço alugado pelo eleitores do partido de extrema direita Alternativa para a Alemanha (AfD) no centro de Berlim para festejar os resultados das eleições de hoje. As informações são da Agência EFE.

Com aproximadamente 13% dos votos, conforme projeções, o AfD entrará para o Bundestag (Parlamento alemão) como a terceira maior força parlamentar, questão que também gerou protestos em outras grandes cidades do país.

A concentração em Berlim aconteceu na porta do Traffic Club Berlin, a poucos metros da Praça Alexanderplatz, onde os líderes do partido e seus simpatizantes deram entrevista e comemoraram o sucesso nas eleições.

Cercados por um amplo esquema de segurança, os protestos começaram logo depois da divulgação das primeiras projeções. A maioria dos manifestantes criticava o discurso xenófobo de um partido que fez da rejeição aos imigrantes e refugiados o principal eixo de campanha.

“Não existe espaço para a propaganda nazista”, “Nacionalistas fora” e “Refugiados bem-vindos” foram algumas das frases ouvidas durante a manifestação em Berlim.

De acordo com a imprensa alemã, também ocorreram protestos em Colônia, Hamburgo e Frankfurt, sem registro de incidentes.

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247