Meta para 2017 é reduzir o déficit, diz novo ministro argentino

Ministro da Fazenda da Argentina, Nicolás Dujovne, disse nesta sexta-feira (30) que procurará reduzir o déficit fiscal de 4,2% do Produto Interno Bruto previsto para 2017, na sua primeira coletiva de imprensa como representante do cargo; Dujovne terá que lidar com uma economia em recessão em meio a uma inflação elevada; "Em 2017 o programa continua o mesmo: administrar este conjunto de objetivos que temos para melhorar a infraestrutura, reduzir o déficit e eliminar impostos", disse

Ministro da Fazenda da Argentina,  Nicolás Dujovne
Ministro da Fazenda da Argentina,  Nicolás Dujovne (Foto: Paulo Emílio)

Reuters - O ministro da Fazenda da Argentina, Nicolás Dujovne, disse nesta sexta-feira (30) que procurará reduzir o déficit fiscal de 4,2 por cento do Produto Interno Bruto previsto para 2017, na sua primeira coletiva de imprensa como representante do cargo.

Ele ainda não substituiu oficialmente o atual ministro Alfonso Prat-Gay. Dujovne terá que lidar com uma economia em recessão em meio a uma inflação elevada que o presidente liberal Mauricio Macri, que assumiu o cargo há um ano, ainda não conseguiu reduzir.

"Em 2017 o programa continua o mesmo: administrar este conjunto de objetivos que temos para melhorar a infraestrutura, reduzir o déficit e eliminar impostos", disse Dujovne, que vai buscar desenvolver uma reforma tributária abrangente e tornar a despesa pública mais eficiente.

Por outro lado, o também nomeado ministro das Finanças, Luis Caputo, disse que o país analisa a possibilidade de emitir dívida nos mercados internacionais em janeiro.

Caputo disse que a Argentina ainda tem espaço para continuar a emitir dívida, porque "não há nenhum problema com a sustentabilidade."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247