México reabre investigações sobre desaparecimento de 43 estudantes

O México criou uma unidade especial para investigar o desaparecimento de 43 estudantes no ano passado; unidade atende a pedidos das famílias dos desaparecidos que não aceitam a versão oficial  de que membros da polícia da cidade de Iguala tenham sequestrado e entregue os estudantes a uma facção ligada a um cartel de narcotraficantes, que os matou e incinerou os corpos num terreno baldio em setembro do ano passado

O México criou uma unidade especial para investigar o desaparecimento de 43 estudantes no ano passado; unidade atende a pedidos das famílias dos desaparecidos que não aceitam a versão oficial  de que membros da polícia da cidade de Iguala tenham sequestrado e entregue os estudantes a uma facção ligada a um cartel de narcotraficantes, que os matou e incinerou os corpos num terreno baldio em setembro do ano passado
O México criou uma unidade especial para investigar o desaparecimento de 43 estudantes no ano passado; unidade atende a pedidos das famílias dos desaparecidos que não aceitam a versão oficial  de que membros da polícia da cidade de Iguala tenham sequestrado e entregue os estudantes a uma facção ligada a um cartel de narcotraficantes, que os matou e incinerou os corpos num terreno baldio em setembro do ano passado (Foto: Paulo Emílio)

Lusa - O México criou uma unidade especial para investigar o desaparecimento de 43 estudantes no ano passado, atendendo a pedidos das famílias, que não aceitam a versão dos acontecimentos apresentada pelo governo.

Segundo o Ministério Público, a polícia da cidade de Iguala sequestrou os estudantes e entregou a um grupo criminoso, que os matou e incinerou os corpos num terreno baldio em setembro do ano passado.

Especialistas independentes indicaram que não há provas científicas de que os estudantes tenham sido queimados, apelando ao Ministério Público que procure novas linhas de investigação.

Há muito que os pais dos estudantes pedem uma nova investigação do caso que abalou o país, palco de violência ligada a cartéis de droga.

A Comissão Interamericana dos Direitos Humanos vai supervisionar a unidade de investigação criada recentemente.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247