Milhares de franceses protestam contra Lei de Segurança Nacional

O projeto foi aprovado pela Assembleia Nacional na semana passada, e impede a divulgação de imagens da polícia, o uso de drones, assim como imagens das forças de segurança feitas pelos cidadãos com seus telefones celulares

(Foto: Benoit Tessier/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Milhares de franceses foram às ruas neste sábado, 28, contra o projeto de lei de Segurança Nacional. Os manifestantes denunciam que a lei impõe restrições a liberdades individuais com medidas ditatoriais.

O projeto foi aprovado pela Assembleia Nacional na semana passada, e impede a divulgação de imagens da polícia, o uso de drones, assim como imagens das forças de segurança feitas pelos cidadãos com seus telefones celulares.

Um artigo pune com um ano de prisão e multa de até 45.000 euros (54.000 dólares) a divulgação “mal-intencionada” de imagens das forças de segurança.

Protestos ocorreram em Lille, Montpellier e Paris. Nesta última cidade, as manifestações não terminaram. Os manifestantes se reúnem na Praça da República, de onde irão para a Praça da Bastilha.

Os franceses reclamam que a medida do governo de Emmanuel Macron protege policiais que cometem abusos, como em dois casos recentes que ocorreram no país.

Na segunda-feira, durante uma ação de organizações pró-imigrantes, a polícia desalojou com violência um acampamento improvisado em uma praça do centro de Paris, ao mesmo tempo que perseguiram jornalistas que estavam com câmeras e smartphones.

Na quinta-feira, câmeras de segurança registraram o espancamento de um produtor musical negro por três policiais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247