Milhares protestam no Reino Unido contra movimento de Johnson para suspender parlamento

Johnson prometeu tirar o Reino Unido da UE em 31 de outubro, com ou sem acordo sobre as futuras relações com o bloco. O movimento de fechar o parlamento por cerca de um mês antes dessa data impedirá os esforços de seus adversários para detê-lo

(Foto: STEFAN ROUSSEAU)

Reuters - Milhares de pessoas ao redor do Reino Unido e da Irlanda do Nortes protestaram neste sábado contra a decisão do primeiro-ministro Boris Johnson de suspender o parlamento, aproximadamente um mês antes do prazo para o país deixar a União Europeia. 

Johnson prometeu tirar o Reino Unido da UE em 31 de outubro, com ou sem acordo sobre as futuras relações com o bloco. O movimento de fechar o parlamento por cerca de um mês antes dessa data impedirá os esforços de seus adversários para detê-lo.

Por volta de 2.000 pessoas reuniram-se no lado de fora do seu escritório em Downing Street, cantando “Johnson mentiroso, você deveria se envergonhar!”.

Uma faixa dizia: “#PareOGolpe, Defenda nossa Democracia. Salve nosso futuro”. 

O governo afirmou que é comum o parlamento ser suspenso antes de um primeiro-ministro delinear seu programa de políticas em um discurso para a rainha, agora programado para 14 de outubro. Seus apoiadores também afirmam que o parlamento geralmente para no final de setembro, quando os principais partidos políticos realizam suas conferências anuais. 

Mas críticos afirmam que a suspensão, conhecida como prorrogação, é mais longa que o usual e descrevem a medida como uma tentativa velada de tentar reduzir o tempo que os legisladores terão para debater antes de o Reino Unido sair da União Europeia no fim de outubro. 

Parlamentares de oposição querem impedir o fechamento e defendem a aprovação de leis que impeçam um Brexit sem acordo quando retornarem do recesso de verão, na terça-feira.

Além de Londres, manifestações estavam marcadas em outras grandes cidades das quatro nações do Reino Unido, composto por Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

Por volta de 100 pessoas protestaram nos arredores da prefeitura de Belfast, capital da Irlanda do Norte, que se tornou um foco particular das negociações do Brexit porque tem a única fronteira terrestre do Reino Unido com a União Europeia. 

O “backstop”, parte do acordo de retirada negociado entre a UE e a ex-primeira-ministra do Reino Unido e que busca manter a fronteira com a Irlanda aberta, tornou-se o principal ponto de fricção das negociações. 

Johnson que remover o “backstop”, dizendo que isso poderia deixar a Irlanda do Norte operando sob regulamentações diferentes do resto do Reino Unido. A UE e a Irlanda afirmam que o Reino Unido ainda não apresentou alternativas aceitáveis. 

Uma ação legal na Justiça de Belfast que será alvo de audiência na próxima semana busca bloquear a suspensão do parlamento, alegando que um Brexit sem acordo violaria o chamado Acordo da Sexta-Feira Santa, de 1998, que levou paz à província britânica da Irlanda do Norte. 

Manifestantes afirmaram que o governo não está levando em conta a importância da questão da fronteira.

“O que mais me assusta é que eles não percebem o que é importante para a Irlanda do Norte. Não estamos no radar deles”, disse Graham Glendinning, 49, que trabalha com softwares. 

“A fronteira não significa nada para eles e eles não se importam com isso”. 

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247