Mulheres e indígenas serão maioria no Senado da Bolívia

Além da volta da esquerda ao poder, país andino terá um novo parlamento com mais representação feminina e de povos originários. Mulheres também são maioria entre indígenas eleitos

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - A eleição na Bolívia, no dia 18 de outubro, não marcou apenas o retorno ao poder do projeto progressista do MAS (Movimento Ao Socialismo), com a vitória de Luis Arce, como também trouxe uma grande novidade nos resultados legislativos. Isso porque o novo Senado do país será composto por uma maioria de mulheres, pela primeira vez na história.

A partir do dia 8 de novembro, elas ocuparão 20 das 36 cadeiras da câmara alta da Bolívia. Será a primeira vez na história do país em que elas serão a maioria nessa instância.

Antes que alguém pense em atribuir essa maior representatividade a uma hipotética mudança no país provocada pelo governo tampão da ditadora Jeanine Áñez – imposta no poder pelas Forças Armadas após o golpe de Estado de novembro de 2019 –, vale ressaltar que 10 dessas 20 mulheres foram eleitas pelo MAS.

Continue lendo na Fórum

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247