CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Mundo

Multidão pede remoção de bandeira de confederados na Carolina do Sul

Centenas de pessoas entoando "Retirem!" se reuniram nesta terça-feira para exigir que a bandeira dos confederados seja removida da sede do governo do Estado norte-americano da Carolina do Sul, abalado pelo massacre de nove negros na semana passada em uma igreja de importância histórica da cidade de Charleston

Imagem Thumbnail
Sonya Anderson, que defende a remoção da bandeira dos confederados da sede do governo da Carolina do Sul, participa de protesto em Columbia, nos Estados Unidos, nesta terça-feira. 23/06/2015 REUTERS/Brian Snyder (Foto: Leonardo Attuch)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Por Harriet McLeod

COLUMBIA, Estados Unidos (Reuters) - Centenas de pessoas entoando "Retirem!" se reuniram nesta terça-feira para exigir que a bandeira dos confederados seja removida da sede do governo do Estado norte-americano da Carolina do Sul, abalado pelo massacre de nove negros na semana passada em uma igreja de importância histórica da cidade de Charleston.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A bandeira dos tempos da Guerra Civil dos confederados pró-escravidão, que ao contrário de outras bandeiras não foi hasteada a meio mastro após o ataque, se tornou o centro da discórdia após os assassinatos dos fiéis na Igreja Africana Metodista Episcopal Emanuel, de quase 200 anos, e das motivações racistas que aparentemente estão por trás dos crimes.

Diante da bandeira, uma multidão de quase mil pessoas exclamava "Retirem-na! Retirem-na!", enquanto algumas ofereciam orações em homenagem ao senador Clementa Pinckney, o pastor da igreja, que estava entre as vítimas e que durante muito tempo defendeu a remoção da bandeira. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, irá comparecer ao enterro dele na sexta-feira.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

As autoridades federais estão investigando o atentado como um crime de ódio cometido pelo acusado, o jovem de 21 anos Dylann Roof, que posou diante de uma bandeira dos confederados em fotos publicadas na Internet.

Parlamentares da Carolina do Sul planejam apresentar uma resolução para iniciar um debate sobre o tema ainda nesta terça-feira, um dia após a governadora republicana, Nikki Haley, mostrar apoio à iniciativa de retirada da bandeira, repudiada por muitos por ser um símbolo do histórico de racismo do sul do país.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

(Reportagem adicional de Emily Le Coz, em Jackson, Mississippi)

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO