Mundo passa por onda de "desmocratização", aponta estudo alemão

Estudo da alemã DeMaX apnta que gramde parte dos países do mundo está adotando uma espécie de regime híbrido, que exibemcaracterísticas autocráticas e um Estado de Direito fraco simultaneamente. O Brasil, conforme a DeMaX, situa-se neste grupo ao lado de países como Turquia, Hungria e Sérvia

(Foto: Mídia Ninja)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um estudo elaborado pela DeMaX aponta que o mundo passa por uma onda de “desmocratização”, com grande parte dos países adotando uma espécie de regime híbrido, em que características autocráticas e um Estado de Direito fraco convivem mutuamente. De acordo com o levantamento, no ano passado, 41 Estados (23%) foram classificados como híbridos pela DeMaX e outros 46 (26%) ingressaram no bloco das  democracias incompletas (26% do total. O Brasil, conforme a DeMaX, situa-se neste grupo e aparece ao lado de países como Turquia, Hungria e Sérvia. O levantamento analisa mais de pontos itens de liberdade política, igualdade e controle legal em 179 países desde 1900.

“No Brasil, a eficácia do governo foi drasticamente reduzida, principalmente devido ao aumento da corrupção e à difícil cooperação entre o presidente e o Legislativo”, disse o diretor da DeMaX, Hans-Joachim Lauth, professor da Universidade de Würzburg, na Alemanha, ao jornal Folha de S. Paulo. Na escala utilizada pelo estudo, o Brasil caiu 32% na última década, passando de 79,6 (numa escala de 0 a 100 pontos) em 2010 para 60,2 no ano passado.

Segundo Lauth, uma das razões para esta mudança no padrão está ligada “a má governança nas democracias, especialmente nas deficientes, como o Brasil, também contribuiu para a perda de confiança da população nos atores políticos, o que foi explorado por tendências autoritárias”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email