Na ONU, Raúl Castro pede fim do embargo a Cuba

Durante discurso na sede das Nações Unidas (ONU), em Nova York, neste sábado, 26, o presidente de Cuba, Raúl Castro, pediu o fim do embargo econômico dos Estados Unidos à ilha; Castro afirmou que "o embargo econômico comercial e financeiro contra Cuba ainda continua há mais de meio século" e atrapalha o desenvolvimento do país e os interesses de outras nações e até mesmo de cidadãos e empresas norte-americanas

Durante discurso na sede das Nações Unidas (ONU), em Nova York, neste sábado, 26, o presidente de Cuba, Raúl Castro, pediu o fim do embargo econômico dos Estados Unidos à ilha; Castro afirmou que "o embargo econômico comercial e financeiro contra Cuba ainda continua há mais de meio século" e atrapalha o desenvolvimento do país e os interesses de outras nações e até mesmo de cidadãos e empresas norte-americanas
Durante discurso na sede das Nações Unidas (ONU), em Nova York, neste sábado, 26, o presidente de Cuba, Raúl Castro, pediu o fim do embargo econômico dos Estados Unidos à ilha; Castro afirmou que "o embargo econômico comercial e financeiro contra Cuba ainda continua há mais de meio século" e atrapalha o desenvolvimento do país e os interesses de outras nações e até mesmo de cidadãos e empresas norte-americanas (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Durante discurso na sede das Nações Unidas (ONU), em Nova York, neste sábado, 26, o presidente de Cuba, Raúl Castro, pediu o fim do embargo econômico dos Estados Unidos à ilha. 

Castro afirmou que "o embargo econômico comercial e financeiro contra Cuba ainda continua há mais de meio século" e atrapalha o desenvolvimento do país e os interesses de outras nações e até mesmo de cidadãos e empresas norte-americanas.

Durante sua primeira participação como chefe de estado na ONU, Raúl Castro argumentou que 188 países da ONU pedem "o fim desta política", acrescentando que "Cuba cumpriu os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e ofereceu sua cooperação a outros países em desenvolvimento em vários setores, o que continuaremos fazendo na medida de nossas possibilidades".

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247