Noruega humilha Temer e corta em 50% fundo contra desmatamento

O ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, país que é o maior contribuinte do Fundo de Preservação da Amazônia, anunciou nesta quinta-feira 22, enquanto Michel Temer está no país, o corte pela metade dos recursos destinados à preservação por conta do crescimento do desmatamento na região; o corte chega a cerca de 500 milhões de coroas norueguesas (R$ 196 milhões); sem ter o que mostrar, o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Sarney Filho, disse que "somente Deus pode garantir a redução do desmatamento" no país

O ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, país que é o maior contribuinte do Fundo de Preservação da Amazônia, anunciou nesta quinta-feira 22, enquanto Michel Temer está no país, o corte pela metade dos recursos destinados à preservação por conta do crescimento do desmatamento na região; o corte chega a cerca de 500 milhões de coroas norueguesas (R$ 196 milhões); sem ter o que mostrar, o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Sarney Filho, disse que "somente Deus pode garantir a redução do desmatamento" no país
O ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, país que é o maior contribuinte do Fundo de Preservação da Amazônia, anunciou nesta quinta-feira 22, enquanto Michel Temer está no país, o corte pela metade dos recursos destinados à preservação por conta do crescimento do desmatamento na região; o corte chega a cerca de 500 milhões de coroas norueguesas (R$ 196 milhões); sem ter o que mostrar, o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Sarney Filho, disse que "somente Deus pode garantir a redução do desmatamento" no país (Foto: Paulo Emílio)

247 - Na tentativa de ganhar fôlego em meio à crise política que aflige o seu governo, Michel Temer viajou para a Europa e como resultado conseguiu um vexame internacional.

O ministro do Meio Ambiente da Noruega, Vidar Helgesen, país que é o maior contribuinte do Fundo de Preservação da Amazônia, anunciou o corte pela metade dos recursos destinados à preservação por conta do crescimento do desmatamento na região. O corte chega a cerca de 500 milhões de coroas norueguesas (R$ 196 milhões). Sem ter o que mostrar, o ministro do Meio Ambiente do Brasil, Sarney Filho, disse que "somente Deus pode garantir a redução do desmatamento" no país.

"O desmatamento cresceu no Brasil e portanto haverá menos dinheiro. As regras que temos no fundo são baseadas em resultados dos índices de deflorestamento. Nossa contribuição será reduzida pela metade", afirmou Helgesen.

O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Sarney Filho, tentou minimizar o corte dos recursos pela Noruega e culpou o governo da presidente deposta Dilma Rousseff pelo aumento do desmatamento.

"O ministro da Noruega é bem informado, ele sabe que o desmatamento que ocorreu nos últimos três anos é fruto do governo passado. Infelizmente, o desmatamento na Amazônia é contido por comando e controle, poder de polícia. E quando este comando falha, o desmatamento aumenta. Foi o que aconteceu nos dois anos anteriores de nossa entrada no ministério. Tão logo entrei, conseguimos recompor os orçamentos destes orgãos, o Ibama e o ICMBio (Instituro Chico Mnedes da Conservação da Biodiversidade), e tivemos pela primeira vez recursos do Fundo da Amazônia para este fim, e com isso as ações voltaram na Amazônia. As últimas informações que temos é que a curva de desmatamento, que estava ascendente, começou a reverter. A nossa expectativa é que este ano o desmatamento caia", disse.

"Apenas Deus poderia garantir isso. Mas eu posso garantir que todas as medidas para reduzir o desmatamento foram tomadas. Nossa expectativa e esperança é que diminua. E este corte do Fundo já estava previsto, pois quando aumenta o desmatamento diminuem os recursos", completou.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247