O rei que mata elefantes

Os espanhóis podem ser os próximos gregos, como todos sabemos. Estão quebrados. Enquanto isso, o Rei João Carlos vai matar elefantes na África

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(este artigo foi publicado originalmente no blog Diário do Centro do Mundo)

Os espanhóis podem ser os próximos gregos, como todos sabemos. Estão quebrados. O governo pede sacrifícios ao povo para atender às exigências da Troika – o triunvirato que na prática manda na Europa nestes dias. A saber: o Banco Central Europeu, a União Europeia – estes dois dominados pela Alemanha, a exceção pujante numa Europa economicamente de joelhos – e o Fundo Monetário Internacional. Os espanhóis entendem que já se sacrificaram – um em cada dois jovens está desempregado. E surge a versão espanhola dos 99% do movimento Ocupe Wall Street, os Indignados.

Enquanto isso, no Planeta Milhão …

Bem, o Rei João Carlos vai matar elefantes na África. Secretamente. A informação vazou apenas porque, numa espécie de justiça poética, o rei levou um tombo e quebrou a bacia.

O que leva a Espanha a manter um rei? Mais ainda: um rei que caça elefantes numa crise torrencial? Num pequeno livro clássico do século 17, Tratado da Servidão Voluntária, o escritor francês Etienne de La Boétie disse que a sociedade é culpada pelos absurdos de seus governantes por aturá-los. Se João Carlos é rei, é porque os espanhóis deixam, numa servidão voluntária.

Há momentos, na história, em que o Planeta Milhão se descola grotescamente da vida dos demais. Na Inglaterra do século 17 e na França do século 18, isso terminou com reis sem cabeça, Carlos I e Luís 16, respectivamente.

Mais uma vez, o Planeta Milhão está tão longe quanto poderia estar do mundo real. A caçada extemporânea do rei João Carlos é apenas um símbolo disso. Há muitos outros. Basicamente, o que se vê é uma luta insana — e potencialmente suicida — pela manutenção de privilégios.

Alguns poucos visionários do Planeta Milhão sabem os riscos que a iniquidade exacerbada traz. E gritam, numa tentativa menos filantrópica e mais destinada à autopreservação. O magnata americano Warren Buffett, por exemplo, disse que não é justo que sua secretária pague proporcionalmente menos imposto que ele.

Clap, clap, clap. Aplausos. De pé.

O Planeta Milhão, por suas conexões com o poder, inventa maneiras de não pagar impostos que estão longe do alcance das pessoas que não podem recorrer a paraísos fiscais e coisas do gênero.

O rei João Carlos não está, naturalmente, entre os visionários. Ele gasta dinheiro dando tiro em elefante quando seus concidadãos são instados a se sacrificar ainda mais.

Raras vezes um tombo foi tão merecido. Por tudo o que foi dito acima, é do rei espanhol o prêmio outorgado a cada sete dias pelo Diário –- a Pataquada da Semana.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email