Obama pede fim de "atitude beligerante" a Coreia do Norte

Ao lado do secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, o presidente dos Estados Unidos disse que "ninguém quer assistir a um conflito" com a Coreia do Norte, mas sublinhou que os EUA estão prontos para tomar as medidas necessárias para se defenderem

Obama pede fim de "atitude beligerante" a Coreia do Norte
Obama pede fim de "atitude beligerante" a Coreia do Norte
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Brasil

Brasília – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apelou hoje (11) ao regime norte-coreano para que abandone a sua "atitude beligerante". Obama, que estava ao lado do secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, depois de um encontro na Sala Oval da Casa Branca, disse que "ninguém quer assistir a um conflito" com a Coreia do Norte, mas sublinhou que os Estados Unidos estão prontos para tomar as medidas necessárias para se defenderem.

"Ambos concordamos que é tempo da Coreia do Norte parar com a atitude beligerante que têm adotado", disse o presidente dos Estados Unidos, acrescentando que "é importante que a Coreia do Norte respeite princípios e regras básicos". Obama sublinhou que os Estados Unidos vão continuar a trabalhar para encontrar uma solução diplomática para o problema, mas deixou claro que o país está pronto para enfrentar qualquer eventualidade e defender os seus aliados.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros do G8 (grupo que reúne os oito países mais industrializados do mundo - Reino Unido, Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Itália, Canadá e Rússia)  apoiaram hoje o reforço das sanções à Coreia do Norte, caso o país prossiga com o desenvolvimento de armas nucleares.

Reunidos em Londres, os chefes da diplomacia do grupo dos oito países mais industrializados "condenaram, nos mais fortes termos possíveis, o contínuo desenvolvimento dos programas de armas nucleares e mísseis balísticos" pelo regime da Coreia do Norte, incluindo o enriquecimento de urânio. Para os ministros do G8, a Coreia do Norte viola "diretamente" quatro resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

As duas Coreias vivem um dos momentos de maior tensão das últimas décadas, com constantes ameaças e hostilidades do regime de Kim Jong-un à Coreia do Sul e aos Estados Unidos, há mais de um mês, depois que as Nações Unidas impuseram novas sanções contra Pyongyang pelo ensaio nuclear, ocorrido em fevereiro.

Da Agência Lusa

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247