Obama recebe relatório sobre suposto ataque cibernético russo

A poucos dias do final de seu mandato, o presidente norte-americano, Barack Obama, recebeu finalmente o relatório preparado pela inteligência nacional com as "evidências" da suposta tentativa russa de interferir na eleição presidencial dos Estados Unidos, conforme anunciou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest; "A Casa Branca não possui esse relatório. O presidente Obama está sendo informado sobre ele", declarou Earnest em coletiva de imprensa nesta quinta-feira

A poucos dias do final de seu mandato, o presidente norte-americano, Barack Obama, recebeu finalmente o relatório preparado pela inteligência nacional com as "evidências" da suposta tentativa russa de interferir na eleição presidencial dos Estados Unidos, conforme anunciou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest; "A Casa Branca não possui esse relatório. O presidente Obama está sendo informado sobre ele", declarou Earnest em coletiva de imprensa nesta quinta-feira
A poucos dias do final de seu mandato, o presidente norte-americano, Barack Obama, recebeu finalmente o relatório preparado pela inteligência nacional com as "evidências" da suposta tentativa russa de interferir na eleição presidencial dos Estados Unidos, conforme anunciou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest; "A Casa Branca não possui esse relatório. O presidente Obama está sendo informado sobre ele", declarou Earnest em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (Foto: Romulo Faro)

Sputnik - A poucos dias do final de seu mandato, o presidente norte-americano, Barack Obama, recebeu finalmente o relatório preparado pela inteligência nacional com as "evidências" da suposta tentativa russa de interferir na eleição presidencial dos Estados Unidos, conforme anunciou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

"A Casa Branca não possui esse relatório. O presidente Obama está sendo informado sobre ele", declarou Earnest em coletiva de imprensa nesta quinta-feira. Segundo ele, o chefe de Estado, que estaria em reunião com conselheiros da segurança nacional, soube de um novo relatório com supostos indicadores de que a Rússia se engajou em hackear a eleição de novembro.

Na última semana, Obama ordenou a expulsão de 35 diplomatas russos dos EUA, o fechamento de duas representações diplomáticas da Rússia no país e a imposição de sanções contra indivíduos e entidades russas acusados de estarem ligados aos supostos ataques cibernéticos que teriam sido lançados pelo Kremlin com o objetivo de favorecer Donald Trump na corrida pela presidência norte-americana.

Essas medidas foram tomadas antes mesmo da finalização do relatório com as supostas evidências anunciadas hoje. "Não havia necessidade de esperar por evidências adicionais para fundamentar o tipo de resposta que foi dada", afirmou o porta-voz da Casa Branca.

"A declaração sem precedentes dada pela comunidade de inteligência um mês antes da eleição deveria ser uma indicação clara para todos da profundidade da convicção, da grande confiança que a comunidade de inteligência tinha nas conclusões tornadas públicas em outubro", acrescentou Earnest, defendendo a convicção das autoridades de Washington.

Além de Obama, o presidente eleito, Donald Trump, também deverá ser informado, nesta sexta-feira, sobre o relatório apresentado hoje pela inteligência americana.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247