Odebrecht nega acusações de ex-procuradora da Venezuela

A Odebrecht rebateu as acusações da ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Díaz (foto) de que a construtora brasileira teria participado de um esquema de pagamento de subornos a líderes chavistas, entre eles o número 2 do governo, Diosdado Cabello; em comunicado à imprensa, a Odebrecht diz que "após realizar uma exaustiva busca em seus antigos sistemas e nos depoimentos de seus ex-integrantes que colaboram com a força-tarefa da Lava Jato, a Odebrecht afirma que não procede a acusação de ter pago US$ 100 milhões ao ex-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela Diosdado Cabello, e não fez nenhum pagamento neste valor, direta ou indiretamente"

A Odebrecht rebateu as acusações da ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Díaz (foto) de que a construtora brasileira teria participado de um esquema de pagamento de subornos a líderes chavistas, entre eles o número 2 do governo, Diosdado Cabello; em comunicado à imprensa, a Odebrecht diz que "após realizar uma exaustiva busca em seus antigos sistemas e nos depoimentos de seus ex-integrantes que colaboram com a força-tarefa da Lava Jato, a Odebrecht afirma que não procede a acusação de ter pago US$ 100 milhões ao ex-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela Diosdado Cabello, e não fez nenhum pagamento neste valor, direta ou indiretamente"
A Odebrecht rebateu as acusações da ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Díaz (foto) de que a construtora brasileira teria participado de um esquema de pagamento de subornos a líderes chavistas, entre eles o número 2 do governo, Diosdado Cabello; em comunicado à imprensa, a Odebrecht diz que "após realizar uma exaustiva busca em seus antigos sistemas e nos depoimentos de seus ex-integrantes que colaboram com a força-tarefa da Lava Jato, a Odebrecht afirma que não procede a acusação de ter pago US$ 100 milhões ao ex-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela Diosdado Cabello, e não fez nenhum pagamento neste valor, direta ou indiretamente" (Foto: Romulo Faro)

247 - A Odebrecht rebateu as acusações da ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Díaz de que a construtora brasileira teria participado de um esquema de pagamento de subornos a líderes chavistas, entre eles o número 2 do governo, Diosdado Cabello.

Em comunicado à imprensa, a Odebrecht diz que "após realizar uma exaustiva busca em seus antigos sistemas e nos depoimentos de seus ex-integrantes que colaboram com a força-tarefa da Lava Jato, a Odebrecht afirma que não procede a acusação de ter pago US$ 100 milhões ao ex-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela Diosdado Cabello, e não fez nenhum pagamento neste valor, direta ou indiretamente, através de terceiros ou em seu nome, à empresa espanhola TSE Arietis, citada pela ex-procuradora da Venezuela".

A empresa nega ainda que "tenha recebido pagamentos por trabalhos não realizados e reafirma que o ritmo das obras em execução acompanha o cronograma de pagamentos dos clientes locais".

"Nos 25 anos em que está presente na Venezuela, a Odebrecht concluiu projetos relevantes que se encontram em pleno funcionamento, atendendo a diversas comunidades do país", disse a nota.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247