OMS interrompe estudos com hidroxicloroquina e remédios para HIV em pacientes com COVID-19

Segundo a organização internacional, os medicamentos não reduziram a mortalidade de pacientes. Bolsonaro é o principal garoto propaganda da hidroxicloroquina no mundo

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou neste sábado (4) estar interrompendo seus testes com hidroxicloroquina e medicamento combinado contra o HIV (lopinavir/ritonavir) em pacientes com COVID-19.

Segundo a organização internacional, os medicamentos não reduziram a mortalidade de pacientes.

"Esses resultados preliminares mostram que a hidroxicloroquina e o lopinavir/ritonavir produzem pouca ou nenhuma redução na mortalidade de pacientes com COVID-19 hospitalizados quando comparados ao padrão de atendimento. Os investigadores do estudo de solidariedade interromperão os ensaios com efeito imediato", afirmou a OMS em comunicado, citado pela Reuters.

A OMS acrescentou que a decisão foi tomada por recomendação de um comitê internacional, responsável pelo estudo. A medida, no entanto, não afeta outros estudos em que os medicamentos são usados para pacientes não hospitalizados ou como forma de prevenção.

Em seu anúncio, a agência da ONU informou ter registrado 200 mil novos casos de infecção pelo do novo coronavírus no mundo pela primeira vez em um único dia. Somente nos Estados Unidos foram registrados 53.213 casos em um único dia, do total de 212.326 novos casos registrados na sexta-feira (3).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247