ONU pede libertação de menor de idade palestino preso por forças israelenses sem acusação

Amal Najle sofre da doença autoimune miastenia gravis, que causa fraqueza muscular nos braços e pernas, visão duplicada e dificuldades para falar e mastigar

www.brasil247.com - Amal Najle
Amal Najle (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (UNRWA) pediu nesta sexta-feira (14) a libertação do adolescente palestino Amal Najle, de 17 anos, acometido pela doença autoimune miastenia gravis. Ele está preso pelas forças israelenses no campo de refugiados de Yalazone, ao norte de Ramala desde 21 de janeiro de 2021, sem acusação formal. Ele arremessou pedras contra soldados, segundo o perfil Palestina Hoy.

Os parentes de Amal dizem que as autoridades israelenses decidiram prolongar sua detenção por mais quatro meses. Contudo, eles desconhecem as acusações contra ele.

"A detenção administrativa sem acusação imposta a Amal e baseada em provas confidenciais é uma forma de detenção arbitrária não permitida pelo direito internacional público", reforçou a UNRWA. 

PUBLICIDADE

A referida doença é causada por um bloqueio na comunicação entre nervos e músculos. Os sintomas incluem fraqueza muscular nos braços e pernas, visão duplicada e dificuldades para falar e mastigar.

Organizações apontam que há mais de 4.650 prisioneiros palestinos nas prisões israelenses, incluindo 200 menores de idade. (Com informações da TeleSur). 

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email