ONU pede proteção a civis na Líbia

A coordenadora humanitária da ONU na Líbia, Maria Ribeiro, advertiu na segunda-feira (8) os bandos beligerantes nas proximidades da capital, Trípoli, sobre a necessidade de proteger os civis; em comunicado, a diplomata disse que a recente escalada de violência em Trípoli e seus arredores tem provocado o deslocamento de mais de 2.800 pessoas que fogem dos combates, impede que os serviços de emergência cheguem às vítimas e civis e tem danificado as linhas elétricas

ONU pede proteção a civis na Líbia
ONU pede proteção a civis na Líbia

Prensa Latina - A coordenadora humanitária da ONU na Líbia, Maria Ribeiro, advertiu na segunda-feira (8) os bandos beligerantes nas proximidades da capital, Trípoli, sobre a necessidade de proteger os civis.

Ribeiro disse em um comunicado que a recente escalada de violência em Trípoli e seus arredores tem provocado o deslocamento de mais de 2.800 pessoas que fogem dos combates, impede que os serviços de emergência cheguem às vítimas e civis e tem danificado as linhas elétricas.

O aumento da violência está aumentando ainda mais a miséria dos refugiados e dos imigrantes detidos arbitrariamente em centros de detenção localizados em zonas de conflito ativo.

A diplomata da ONU recordou a todas as partes suas obrigações em virtude do Direito Internacional Humanitário e da Lei Internacional de Direitos Humanos para garantir a segurança de todos os civis.

Também chamou a salvaguardar a infraestrutura civil, incluídas as escolas, hospitais e serviços públicos, além de permitir o acesso humanitário sustentado e sem impedimentos a todas as áreas afetadas.

As Nações Unidas seguem pedindo uma trégua humanitária temporária para permitir a prestação de serviços de emergência e a passagem voluntária de civis, incluídos os feridos, nas zonas de conflito.

A declaração assinala que a comunidade humanitária na Líbia segue de perto os acontecimentos e já tem ativado a resposta de emergência para ajudar os civis quando seja necessário.

O conflito armado começou na quinta-feira passada quando o marechal Khalifa Haftar ordenou as suas forças - o Exército Nacional Líbio - a marchar sobre Trípoli, sede do Conselho Presidencial, que é o Governo reconhecido pela ONU.

Desde então produziram-se fortes confrontos em diferentes zonas do sul da capital.

Os maiores combates registram-se nas áreas de Wadi Rabea, Sooq A o-Ahad, a estrada para o aeroporto, Ain Zara e A o-Aziziya.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247