Papa Francisco compara a Hitler políticos que atacam homossexuais, judeus e ciganos

"Não é uma coincidência que, por vezes, ressurjam símbolos típicos do nazismo", disse o Papa nesta sexta-feira, sem citar nomes, durante conferência no Vaticano. "Essas ações, que hoje são típicas, representam por excelência uma cultura tóxica e de ódio", completou

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Sem citar nomes, o Papa Francisco comparou políticos que atacam homossexuais, judeus e ciganos a Hitler, nazista responsável pela morte de seis milhões de pessoas. Declaração do pontífice foi feita durante uma conferência sobre lei criminal no Vaticano nesta sexta-feira (15). Papa condenou os discursos de ódio.

"Não é uma coincidência que, por vezes, ressurjam símbolos típicos do nazismo. Devo confessar a vocês que quando escuto um discurso de alguém responsável por uma ordem ou governo (contra homossexuais, judeus e ciganos), lembro dos discursos de Hitler em 1934 e 1936", disse.

Ele ainda afirmou que a cultura de ódio do nazismo está resurgindo. "Com a perseguição de judeus, ciganos e pessoas de tendências (sic) homossexuais, essas ações, que hoje são típicas, representam por excelência uma cultura tóxica e de ódio. Isso ocorreu naqueles anos e está acontecendo outra vez".

Em outra ocasião, Papa Francisco já se demosntrou preocupado com a volta de perseguições a judeus. "Hoje o hábito de perseguir judeus está renascendo. Irmãos e irmãs, isto não é humano nem cristão. Os judeus são nossos irmãos e nossas irmãs e não devem ser perseguidos".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247