Paraguai volta ao Mercosul sob comando da Venezuela

Em Brasília, o ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Luis Almagro, disse que a Venezuela assumirá a presidência pro tempore do Mercosul no próximo dia 12, e apenas em agosto o Paraguai retornará ao bloco regional; "O Paraguai está suspenso, portanto, seguirá a presidência pro tempore para a Venezuela, em ordem alfabética, é um dado da realidade, sem prejuízos, considerando as sensibilidades, o caminho a seguir é este", disse o chanceler

Paraguai volta ao Mercosul sob comando da Venezuela
Paraguai volta ao Mercosul sob comando da Venezuela (Foto: Elza Fiúza/ABr)

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Luis Almagro, disse hoje (9) que a Venezuela assumirá a presidência pro tempore (temporária) do Mercosul, no próximo dia 12, e apenas em agosto o Paraguai retornará ao bloco regional. Atualmente, a presidência do grupo está com o Uruguai. Na sexta-feira (12), os presidentes Dilma Rousseff, Cristina Kirchner (Argentina), José Pepe Mujica (Uruguai) e Nicolás Maduro (Venezuela) participarão da Cúpula do Mercosul em Montevidéu (Uruguai) para discutir os temas.

"O Paraguai está suspenso, portanto, seguirá a presidência pro tempore para a Venezuela, em ordem alfabética, é um dado da realidade, sem prejuízos, considerando as sensibilidades, o caminho a seguir é este", disse o chanceler uruguaio em entrevista coletiva concedida ao lado do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota.

As autoridades paraguaias reivindicavam o direito de assumir o comando temporário do Mercosul. Mas o Paraguai está suspenso do bloco desde junho de 2012 em decorrência de decisão tomada pelos líderes regionais que discordaram da forma como foi conduzido o processo de impeachment do então presidente Fernando Lugo.

Almagro reiterou que o fim da suspensão do Paraguai do Mercosul está condicionada à cerimônia de posse do presidente eleito, Horacio Cartes, em 15 de agosto. "O fim da suspensão tem de esperar o 15 de agosto", ressaltou, em resposta ao apelo dos paraguaios para antecipar a reintegração para julho.

O chanceler uruguaio assinou dois acordos bilaterais com Patriota durante a visita a Brasília. Um documento visa a agilizar a concessão de autorização de vistos e residência para brasileiros interessados em viver no Uruguai e de uruguaios que querem morar no Brasil. O outro acordo é sobre a desburocratização, facilitando o reconhecimento de documentos entre países.

De 2003 a 2012, o comércio entre Uruguai e Brasil quadriplicou, passando de US$ 943 milhões para mais de US$ 4 bilhões. O Brasil é o principal sócio comercial do Uruguai e o principal mercado para os produtos uruguaios. O Uruguai é o segundo maior investidor no Brasil entre os países da América do Sul.

Os investimentos brasileiros no Uruguai estão em setores, como agroexportação, frigoríficos, energia, alimentos e bebidas, finanças, construção civil, produtos químicos, mineração e siderurgia.

Edição: Carolina Pimentel

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247