Pepe Escobar: ‘Trump fez sua própria versão da Marcha de Jericó para agradar os evangélicos’

Pepe Escobar fez uma análise sobre a caminhada do presidente dos EUA, Donald Trump, até a Igreja St.John’s, onde manifestantes foram reprimidos e ele posou para fotos com uma Bíblia

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O analista internacional Pepe Escobar publicou uma postage, em sua página no Facebook sobre a caminhada do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, até a Igreja St.John’s, onde manifestantes foram reprimidos e ele posou para fotos com uma Bíblia. Segundo Pepe, a caminhada de Trump foi sua versão da Marcha de Jericó, e foi feita para unificar sua base religiosa.

Confira abaixo uma tradução livre do texto.

A Marcha de Jericó - em um minuto

Seja o que for que pensem sobre Trump: ele pode ser um operador muito, muito sagaz quando se dedica.

Fiz uma análise detalhada dessa foto [publicada acima] - uma das mais cruciais da era Trump - no meu Instagram.

Agora, vamos para outro nível e falar sobre A Marcha de Jericó.

Sim - esta marcha da Casa Branca até a igreja de St. John, aberta com um pouco de bombas de gás nos cidadãos.

A mídia corporativa dos EUA, como sempre, não tinha noção.

Ouvi ecos de que o efeito no Cinturão da Bíblia foi monstruoso. A base evangélica entendeu totalmente: ele estava fazendo a versão Trump da Marcha de Jericó.

Foi quando Deus, de acordo com o livro de Josué, ordenou que os israelitas andassem sete vezes ao redor de Jericó, cujas paredes lendárias, como todos sabemos, desmoronaram.

Milhões em todo o cinturão da Bíblia estão agora interpretando-a como Trump estabelecendo o reino do Senhor neste vale de lágrimas.

Usando uma Bíblia politicamente armada. Ritualisticamente. Em silêncio.

Fale sobre uma manipulação absolutamente magistral do simbolismo religioso pelo poder político. Trump, como um cínico, sempre se destaca.

Trump sabia exatamente o que estava fazendo antes de iniciar meticulosamente a caminhada. Maldito seja o gás lacrimogêneo - esse era um preço pequeno a pagar.

Ele teve que se batizar como o presidente da "lei e ordem". Isso significa que ELE aplicará a lei e, a partir disso, a ordem que ele deseja emanará.

Ele também enfatizou a necessidade de "dominar as ruas". Isso transcende o domínio militar, ou o Pentágono "domina o espaço de batalha": é escatológico.

A mensagem é que ele estará dominando o reino do Senhor na Terra. E sua vasta base evangélica entendeu totalmente.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email