Polícia tinha ordem para matar norueguês

Criticados pelo atraso de uma hora para chegar ilha de Utoya, agentes apontaram suas armas para Anders Behring Breivik, que se rendeu com as mos para cima

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A polícia norueguesa tinha ordens para atirar, até mesmo matar, o autor do duplo atentado na Noruega, de acordo com relatórios de hoje da agência local NTB. As forças de segurança da unidade de elite que desembarcaram na ilha -onde acontecia um encontro de jovens sócio-democratas- chegaram a apontar suas armas a Anders Behring Breivik. No entanto, a ordem foi cancelada no último minuto, depois que um dos oficiais se certificou que Breivik estava desarmado.

O fato de o autor do massacre, que se aproximou das forças de segurança com as mãos para cima, não transportar qualquer explosivo preso ao corpo, também foi fundamental para remover a ordem, segundo a polícia. A NTB afirma ainda que logo após sua prisão Breivik tentou negociar com a polícia. Antes que as forças de segurança o transferisse para a sede em Oslo, ele ficou detido várias horas em uma casa na pequena ilha.

As revelações surgem depois que o trabalho da polícia no dia dos ataques foi fortemente criticado. Os agentes levaram uma hora para chegar até a ilha de Utoya, enquanto os jovens eram baleados indiscriminadamente por Breivik. Um porta-voz da polícia disse que a falta de um barco com capacidade para transportar a equipe necessária foi responsável pelo atraso.

Os policiais também não puderam usar o helicótero para chegar mais rapidamente ao local. Devido a dificuldades financeiras, a Polícia reduziu este ano a 900 horas o tempo de operabilidade anual do único helicóptero do corpo, menos de três horas ao dia, em média. Em 2006, quando as forças de segurança o adquiriram, o equipamento e o pessoal técnico para pilotá-lo estavam disponíveis 24 horas por dia.

O jornal Aftenposten informou que a polícia já havia identificado Breivik, mesmo antes do tiroteio na ilha, como o autor da explosão no bairro governamental de Oslo, graças a câmeras de vigilância.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email