Potências europeias estão divididas sobre acordo com Mercosul

Presidente do Conselho Europeu diz ser difícil imaginar pacto enquanto a Amazônia queima. França e Irlanda também se opõem, enquanto Alemanha e Reino Unido defendem acordo

247 - Chefes de Estado e governo de países europeus estão divididos sobre até que ponto a crise provocada pela devastação da Amazônia por responsabilidade do governo de Jair Bolsonaro deve influenciar o acordo comercial entre a União Europeia (UE) e o Mercosul.

A informação é da Deutsche Welle, ao destacar que a questão amazônica é um dos temas centrais da cúpula do G7, que teve início neste sábado (24) na cidade de Biarritz, na costa sudoeste da França. 

Até o fim da reunião, o presidente francês Emmanuel Macron deverá tentar arrancar resultados concretos em relação à Amazônia dos colegas presentes, muitos deles líderes europeus.

Neste sábado, Macron lançou um apelo a todas as potências mundiais para que ajudem o Brasil e outros países da América do Sul a combater os incêndios na Floresta Amazônica, que chamou de "nosso bem comum". "Devemos responder de maneira concreta ao apelo das florestas que queimam agora na Amazônia", disse o francês em discurso transmitido na televisão.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247