Povo equatoriano vence ditador Lenín Moreno e derruba decreto dos combustíveis

O povo do Equador vence uma batalha contra o governo do ditador Lenin Moreno e FMI. O ditador Lenín Moreno, anunciou neste domingo (13) à noite a revogação do Decreto 883, que estipulava a eliminação do subsídio ao combustível. O recuo de Moreno foi resultado da pressão do povo que durante dez dias fez uma rebelião que abalou o país

Equador: vitória popular
Equador: vitória popular (Foto: Fernando Vergara/Sputnik)

247 - O povo do Equador conquista uma vitória importante contra o governo do ditador Lenin Moreno e o FMI, conseguindo a revogação de um decreto que estipulava em até 123% o aumento dos combustíveis, informa a Telesur. O ditador Lenín Moreno, anunciou neste domingo (13) à noite a revogação do Decreto 883, que estipulava a eliminação do subsídio ao combustível. 

O recuo de Moreno foi resultado da pressão do povo que durante dez dias fez uma rebelião que abalou o país.  

Lenin Moreno foi obrigado a aceitar a exigência do movimento indígena durante o diálogo iniciado, com intermediação da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Conferência Episcopal do Equador. 

A eliminação do decreto permitirá que o governo e os movimentos sociais se reúnam em comissões para alcançar novo consenso sobre as medidas econômicas a adotar.  

O presidente da Confederação das Nacionalidades Indígenas (Conaie), Jaime Vargas, disse que se sente "indignado" com o que está acontecendo no país.  

O acordo inclui a suspensão das manifestações pelos povos indígenas e demais setores do movimento popular. 

Sabendo da revogação do decreto, milhares de equatorianos saíram às ruas para comemorar. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247