Povo equatoriano vence ditador Lenín Moreno e derruba decreto dos combustíveis

O povo do Equador vence uma batalha contra o governo do ditador Lenin Moreno e FMI. O ditador Lenín Moreno, anunciou neste domingo (13) à noite a revogação do Decreto 883, que estipulava a eliminação do subsídio ao combustível. O recuo de Moreno foi resultado da pressão do povo que durante dez dias fez uma rebelião que abalou o país

Equador: vitória popular
Equador: vitória popular (Foto: Fernando Vergara/Sputnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O povo do Equador conquista uma vitória importante contra o governo do ditador Lenin Moreno e o FMI, conseguindo a revogação de um decreto que estipulava em até 123% o aumento dos combustíveis, informa a Telesur. O ditador Lenín Moreno, anunciou neste domingo (13) à noite a revogação do Decreto 883, que estipulava a eliminação do subsídio ao combustível. 

O recuo de Moreno foi resultado da pressão do povo que durante dez dias fez uma rebelião que abalou o país.  

Lenin Moreno foi obrigado a aceitar a exigência do movimento indígena durante o diálogo iniciado, com intermediação da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Conferência Episcopal do Equador. 

A eliminação do decreto permitirá que o governo e os movimentos sociais se reúnam em comissões para alcançar novo consenso sobre as medidas econômicas a adotar.  

O presidente da Confederação das Nacionalidades Indígenas (Conaie), Jaime Vargas, disse que se sente "indignado" com o que está acontecendo no país.  

O acordo inclui a suspensão das manifestações pelos povos indígenas e demais setores do movimento popular. 

Sabendo da revogação do decreto, milhares de equatorianos saíram às ruas para comemorar. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247