Premiê britânica já prega contra o islamismo

"Apesar do fato de os ataques não estarem ligados entre si por uma única rede terrorista, eles estão ligados pela ideologia… Essa ideologia é o islamismo, uma perversão do islã, da verdade, e a vitória sobre essa ideologia é um dos principais problemas contemporâneos", disse Theresa May após uma reunião do comitê de emergência COBRA, que é composto por representantes do governo, da polícia e dos serviços de segurança, e inclui o prefeito de Londres Sadiq Khan

Theresa May
Theresa May (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Sputinik

Os atentados terroristas cometidos durante os últimos três meses no Reino Unido não estão ligados diretamente uns com os outros, mas eles estão ligados pela ideologia, que deve ser combatida, disse no domingo a primeira-ministra britânica Theresa May. 

"Apesar do fato de os ataques não estarem ligados entre si por uma única rede terrorista, eles estão ligados pela ideologia… Essa ideologia é o islamismo, uma perversão do islã, da verdade, e a vitória sobre essa ideologia é um dos principais problemas contemporâneos", disse May após uma reunião do comitê de emergência COBRA, que é composto por representantes do governo, da polícia e dos serviços de segurança, e inclui o prefeito de Londres Sadiq Khan. 

"Desde março, a polícia [britânica] preveniu cinco tentativas de preparação de grandes atentados terroristas", disse May depois de uma reunião de emergência com os membros do gabinete de ministros. 

"Não podemos e não devemos fingir que tudo está como era antes… Estamos vendo uma nova tendência: o terrorismo promove o terrorismo, os terroristas inspiram outros para novos ataques, se copiam uns aos outros e utilizam muitas vezes os métodos mais primitivos de atacar", disse May após a reunião do comitê de emergência COBRA.

Ela observou que a estratégia de combate contra o terrorismo deve ser alterada.

"Não devemos permitir que os extremistas tenham a sua própria área de influência, o que acontece agora na Internet… Vamos tentar alcançar um acordo internacional sobre a luta contra a propagação de informação extremista", disse May.

No dia 22 de março, em Londres ocorreu um atentado que levou as vidas de cinco pessoas, ferindo dezenas. Depois, no dia 22 de maio, em Manchester, ocorreu um atentado durante um show da estrela pop norte-americana Ariana Grande em que morreram 22 pessoas, incluindo 12 crianças. Em ambos os casos o grupo terrorista Daesh reivindicou os atentados.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247