Presidente da Coreia do Sul se diz pronto para encontro com Kim

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse nesta quarta-feira que está pronto para se encontrar com o líder norte-coreano Kim Jong-un, mas "apenas quando as condições forem atendidas", informou a mídia local; reuniões entre líderes das duas Coreias foram realizadas duas vezes — em Pyongyang em 2000 e 2007, ambas com o ex-líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Il, o falecido pai do líder incumbente do país

Presidente da Coreia do Sul se diz pronto para encontro com Kim
Presidente da Coreia do Sul se diz pronto para encontro com Kim

Da Sputnik Brasil

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse nesta quarta-feira que está pronto para se encontrar com o líder norte-coreano Kim Jong-un, mas "apenas quando as condições forem atendidas", informou a mídia local.

O líder sul-coreano também disse durante sua conferência de imprensa anual, como citado pela agência de notícias Yonhap, que a questão nuclear norte-coreana deve ser resolvida.

"A desnuclearização da península, as duas Coreias concordaram em conjunto (no passado) é a nossa posição básica que nunca será abandonada", afirmou o líder sul-coreano.

"Estou aberto a qualquer forma de reunião, incluindo uma cúpula (com a Coreia do Norte), em boas condições", disse ele. "Tendo dito isso, o propósito disso não deve ser conversa por razões de conversações".

No verão passado, durante um discurso em Berlim, Moon disse que o contato com o líder norte-coreano era necessário, e a cúpula seria realizada se servisse para aliviar a tensão e o confronto na Península da Coreia.

As reuniões dos líderes das duas Coreias foram realizadas duas vezes — em Pyongyang em 2000 e 2007, ambas com o ex-líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Il, o falecido pai do líder incumbente do país.

Elogios a Trump

Moon Jae afirmou acreditar que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ajudou a estimular as primeiras conversas inter-coreanas em mais de dois anos e advertiu que Pyongyang enfrentaria sanções mais fortes se as provocações continuassem.

"Eu acho que o presidente Trump merece um grande crédito por trazer as conversas inter-coreanas", comentou. "Pode ser um trabalho resultante das sanções e pressões lideradas pelos EUA".

A relação entre Pyongyang e Seul tornou-se particularmente tensa no ano passado, já que a Coreia do Norte realizou testes de mísseis e testes nucleares.

A Rússia e a China têm defendido uma solução de "duplo congelamento", que veria a Coreia do Norte suspender seus programas nucleares e de mísseis, enquanto seus vizinhos se absteriam de realizar exercícios conjuntos com os Estados Unidos na região.

Na terça-feira, Pyongyang e Seul chegaram a vários acordos, incluindo um sobre participação de atletas norte-coreanos nas próximas Olimpíadas da Coreia do Sul, em uma reunião ministerial, que permite a restauração do relacionamento.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247