Primeiro ministro diz que Japão "não tolerará" as provocações da Coreia do Norte

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou, nesta sexta-feira (data local, quinta-feira em Brasília), que seu país "nunca tolerará" as perigosas provocações da Coreia do Norte que "ameaçam a paz mundial", em resposta ao último lançamento de um míssil norte-coreano que sobrevoou o território japonês

Japanese Prime Minister Shinzo Abe speaks at a news conference in New York September 27, 2013. REUTERS/Eric Thayer (UNITED STATES - Tags: POLITICS)
Japanese Prime Minister Shinzo Abe speaks at a news conference in New York September 27, 2013. REUTERS/Eric Thayer (UNITED STATES - Tags: POLITICS) (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da EFE

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou, nesta sexta-feira (data local, quinta-feira em Brasília), que seu país "nunca tolerará" as perigosas provocações da Coreia do Norte que "ameaçam a paz mundial", em resposta ao último lançamento de um míssil norte-coreano que sobrevoou o território japonês. As informações são da agência de notícias EFE.

"Jamais poderemos tolerar que a Coreia do Norte atinja desta forma a dura e unânime resposta da comunidade internacional em favor da paz mostrada pela ONU", disse Abe, aos jornalistas, se referindo às últimas sanções aprovadas nesta semana pelo Conselho de Segurança da ONU.

O regime de Kim Jong-un fez um novo lançamento de um míssil de médio alcance que sobrevoou a ilha de Hokkaido, no norte do Japão, e caiu no Oceano Pacífico.

Este é o primeiro lançamento de um míssil executado pela Coreia do Norte desde o final de agosto - quando outro projétil também sobrevoou o norte do Japão.

Além disso, esse foi o primeiro teste armamentístico, desde que o Conselho de Segurança da ONU impôs de maneira unânime ao regime de Kim Jong-un, na última segunda-feira, uma bateria de duras sanções em resposta ao seu sexto e até o momento, mais potente teste nuclear, realizado no dia 3 deste mês.

O premier japonês disse que "é o momento para comunidade internacional se manter unida contra as provocações da Coreia do Norte, que ameaçam a paz mundial" e pediu que se apliquem completamente as sanções impostas ao isolado regime de Kim Jong-un.

"Temos que fazer a Coreia do Norte entender que, se continuar por este caminho, não terá um bom futuro", disse Abe.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247