Príncipe William e Kate recusam presentes; de empresas, zero

Eles preferem doaes a 26 instituies de caridade e rejeitam qualquer pacote que saia de companhias privadas;

247 – Gisele Federicce, com Agências Internacionais - Por saber de toda etiqueta, tradições e austeridade que envolvem uma família real, uma cerimônia de casamento neste ambiente pode ser tudo, menos divertida. Mas não é o caso do matrimônio entre o príncipe William e Kate Middleton, que foge bastante aos padrões de sisudez da corte britânica. Não só a festa que está por vir – no próximo dia 29 –, mas principalmente os bastidores e tudo o que rodeia o casamento estão cercados de alto astral. Nada parecido com a pompa a circunstância da união entre os pais de William, Charles e Diana, em 1981.

Os noivos já deram claros sinais de que não seguirão todas as regras da Casa Real dos Windsors. Para começar, o casal não aceitará uma lista de presentes, como é feito tradicionalmente na família. Ao invés disso, preferem que as pessoas dispostas a enviar algo o façam em forma de doações, que serão entregues a 26 instituições de caridade, escolhidas por eles. Também recusarão todos os presentes que vierem de empresas.

A divulgação de alguns lances prévios do casamento também é feita de forma bem informal. Sabe-se que publicar os bastidores de alguma produção não é para qualquer um. Afinal, estarão lá cenas mais íntimas e pessoas sem maquiagem. Mas William e Kate não estão preocupados com isso e mandam ver em tudo o que está por trás dos preparativos da festa. Por redes sociais como o Twitter e o YouTube, notícias são publicadas o tempo todo sobre o andamento do evento e curiosidades como entrevistas com a responsável pelo bolo, Fiona Cairns, e visitas dos noivos a eventos e instituições de caridade.

Os souvenires formam um capítulo à parte. Eles são muito bem humorados. Porcelanas com fotos do casal são comuns, mas no lugar da imagem do noivo William aparece a face do seu irmão, príncipe Harry. Quem tem, já não vende. Um engraçadinho também criou um prato agradecendo pelo feriado decretado no país no dia do casamento, com a frase “Thanks for the free day off”, ou, em português, “Obrigado pelo dia grátis de folga”. Toda essa brincadeira deve movimentar cerca de R$ 500 milhões na economia local, sendo 17,2% apenas pela Internet.

A imagem dos noivos não está apenas na televisão ou em capas das revistas. Com a confecção temática do casamento feita pela empresa de transporte público de Londres no cartão utilizado nos ônibus, dá até para carregar a foto do casal no bolso. Os dois também aparecem formados por cogumelos, queijo, salame e pimenta, em uma cobertura de pizza criada por uma rede de lojas britânica. E a ilha de Niuê, pertencente à Nova Zelândia, fez uma brincadeira que poderia não ter sido aceita, mas passou pela aprovação da Rainha Elizabeth II. Um selo postal com a foto dos noivos traz uma perfuração ao centro, para dar a opção de separá-los ao meio, criando outros dois selos, um para cada noivo. Os que presenciaram os preparativos do casamento entre Charles e Diana podem estranhar um pouco essa moda criada por uma turma que poderíamos chamar de geração do Facebook. Mas também têm muito o que se divertir.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247