Princípio ativo de remédio sugerido por Pontes contra a covid-19 é pior que cloroquina, diz pesquisa chinesa

Nitazoxanida, princípio ativo do vermífugo Annita, só apresentou atividade antiviral adequada em doses elevadas, que se mostraram tóxicas. Uso da substância contra a covid-19 foi sugerido pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes

Nitazoxanida
Nitazoxanida (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O princípio ativo do vermífugo Annita, a nitazoxanida, anunciado pelo ministro da Ciência e tecnologia, Marcos Pontes, como um “remédio secreto” para ser testado em pacientes contaminados pela covid-19 é menos efetivo e mais tóxico do que outras drogas que atualmente estão sendo testadas por diversos países. O alerta foi feito em estudos científicos publicados por especialistas cineses, diz a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo.  

No estudo conduzido por virologistas e cientistas de Wuhan, onde começou a pandemia do novo coronavírus, foram testadas sete e comparadas a eficácia de sete drogas. A cloroquina foi considerada a mais efetiva e menos tóxica que as demais, quando administrada em dose maior. 

O Remdesivir, aplicado no combate ao Ebola, também teve um bom resultado no caso da covid-19, segundo o estudo. Já a nitazoxanida só apresentou atividade antiviral adequada em doses elevadas, que se mostraram tóxicas. 

A reportagem destaca que “um dos projetos aprovados para pesquisa com a nitazoxanida no Brasil terá como centros participantes o Comando da Aeronáutica do Rio, o Comando da Aeronáutica de SP, o Hospital Naval Marcílio Dias, do Rio, e o HFA (Hospital das Forças Armadas)”. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247