Promotor pede pena de morte para Hosni Mubarak

"A questo no apenas se ele ordenou a morte dos manifestantes, mas saber por que ele no atuou para interromper a violncia", disse Mustafah Khater

Promotor pede pena de morte para Hosni Mubarak
Promotor pede pena de morte para Hosni Mubarak (Foto: DIVULGAÇÃO)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com agências - O promotor Mustafah Khater pediu nesta quinta-feira a pena de morte para o ex-presidente egípcio Hosni Mubarak. Ele é acusado de ser responsável pelo assassinato de manifestantes na revolta contra seu regime. "O presidente da República é responsável pela proteção do povo. A questão não é apenas se ele ordenou a morte dos manifestantes, mas saber por que ele não atuou para interromper a violência", afirmou em seguida o chefe da promotoria.

Segundo ele, o então ministro do Interior Habib el-Adli, que também está sendo julgado, "não poderia ter dado a ordem de abrir fogo contra os manifestantes sem receber instruções de Mubarak".

Na véspera, o procurador do julgamento de Hosni Mubarak considerou que existiam provas sólidas do envolvimento do ex-presidente egípcio na morte de manifestantes e denunciou a falta de cooperação das autoridades com a acusação. "A acusação confirmou que Mubarak, o antigo ministro do Interior e seis altos responsáveis pela segurança ajudaram e incitaram aos disparos" contra a multidão que se manifestava exigindo o fim do regime, declarou o procurador.

Aos 83 anos, o ex-presidente chegou ao tribunal em uma maca, como nas audiências anteriores deste processo. Ele está em prisão preventiva em um hospital militar no subúrbio do Cairo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email